E sabereis que eu sou o Senhor, quando eu abrir as vossas sepulturas e vos fizer sair delas, ó povo meu. (Ez. 37. 13)

            Renovar-se, voltar a ter vigor. Esse é um conceito para reviver. O segredo é o que fazer para ressuscitar quando até os ossos já se secaram.

            O povo judeu, cativo na Babilônia, viveu momentos de desesperanças. No entanto, Ezequiel foi  chamado para anunciar ao povo que a hora de mudar as estruturas ideológicas frágeis construídas durante o exílio havia chegado.

Era o tempo de edificar construções de pensamentos firmadas na verdade. Apoiadas na esperança em um Deus que se recorda continuamente de seu povo. E que renova suas misericórdias a cada manhã.

            Vem dos quatro ventos, ó Espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. (Ez. 37.9)

            Mudar pensamentos passa pelo processo da aceitação de novas regras. Novos rumos. Emissão de novas palavras que produzem vida.

Ezequiel foi levado pelo Espírito à Jerusalém e lá viu numerosos ossos secos. O Senhor deu-lhe o entendimento de que a casa de Israel estava morta, sem vida. E lhe fez uma pergunta desafiante:

Poderão reviver esses ossos? (Ez.37.3)

            Sabiamente, o profeta afirma que somente o Deus onisciente saberia a resposta. O sim divino requereu do profeta uma atitude prática.

 Um reflexo da mudança de pensamento foi visualizado por Ezequiel: sepulturas se abrindo, ossos se juntando entre si, carnes cobrindo o esqueleto, peles tomando seu lugar, um verdadeiro rebuliço.

Tirar a visão do vale de ossos secos e projetá-la a um lugar em que pessoas ressurretas caminhavam alegremente foi possível após  obediência à ordem de profetizar palavras carregadas de autoridade espiritual.

E profetizei como ele me deu ordem; então o espírito entrou neles, e viveram, e se puseram em pé, um exército grande em extremo.

(Ez. 37.10)

Palavras trazem vida ou morte. Tiago explica que se alguém não tropeça em palavras, o tal é perfeito e poderoso para também refrear todo o corpo. (Tg 3.2). Explica também que a língua pode pôr em chamas toda carreira da existência humana. (Tg 3.6)

Usar a boca para imprimir vida aos corações moribundos foi ordem dada a Ezequiel. O princípio implícito na visão registrou a força poderosa da invocação do poder de Deus pela palavra falada.

O dia em que a Palavra viva do Santo Deus penetrar nos corações humanos, sepulturas serão trocadas por lugares de encontros festivos.

Porém, a vivificação aparece com exercícios espirituais. É fé mais fé, amor mais amor, obediência mais obediência que transporta o ser humano do vale da morte para a fonte de águas vivas.

Usar a proclamação fiel da Palavra de Deus  e profetizar vida em abundância para aqueles que interiormente encontram-se mortos é seguir os passos de Jesus, o cordeiro que foi morto, mas tirado da sepultura para ser as primícias dos que ressuscitarão no dia glorioso de sua volta ao mundo.

Ossos secos, ouvi a Palavra do Senhor! (Ez. 37.4)

            Nenhum vale é tão profundo que não possa devolver os mortos ao som da ordem inspirada pelo Espírito do vivo Deus. Mortos espiritualmente, emocionalmente. Mortos pela saúde afligida. Pelas lutas do dia a dia. Pela angústia, depressão, pânico, tristezas. Pelas frustrações e desencontros. Mas todo esse cenário é revertido quando a ordem do exército do céu invade a terra: E porei em vós o meu Espírito, e vivereis. (Ez. 37.14)

Por Auxilandia, pastora em Cristo, serva de Deus.

       

10 - 10 - 2012     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|