Quando te abaterem , então, tu dirás: haja exaltação! E Deus salvará o humilde e livrará até ao que não é inocente; sim, ele será libertado pela pureza de tuas mãos. ( Jó 22:29-30)

 

            Exaltar é erguer para cima, é estimar muito além do esperado. E, sabiamente, o escritor de Provérbios lembrou aos leitores que a humildade precede a honra. Para percorrer o caminho da exaltação, é preciso passar por situações que indicam rebaixamento.

E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo aquele que nele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna. (Jo 3.14-15)

            Ao ser crucificado, Jesus recebeu a humilhação máxima de uma morte considerada cruel para os romanos. Mas, o interessante nessa história, é que exatamente na vergonha da cruz ele concedeu vida eterna a todos que nele creem.

            Depois do terceiro dia, foi exaltado e está à direita do
Deus Pai. Pelas vias espirituais, a exaltação ocorreu no momento em que subiu à cruz. Ali, o primeiro degrau da honra foi colocado na frente do Filho do Altíssimo.

Sem olhar para trás, e com foco no momento de sua vitória, que ocorreria após sofrimentos que ainda teria que suportar, o Salvador mostrou ao mundo qual o sentido da verdadeira dignidade: negar a si mesmo, em favor de muitos. Ainda que para isso seja rebaixado às profundezas da terra.

A história de Jó esclarece que a retidão, o desvio do mal e a integridade foram os ingredientes que formaram seu caráter. Mesmo assim, passou por humilhação até que a estrela da alva brilhou e mostrou claramente a restituição.

Quem salva o humilde é Deus. A pureza das mãos do que será exaltado produz libertação até para o perverso. E essa é  ideia divina para que haja harmonia no universo.

Humilde significa de baixo grau, trazido para baixo, conforme o dicionário Vine. Quem almeja a exaltação deve entender que o tempo de abaixar-se é um movimento que não tem hora marcada.

A cada instante é preciso se humilhar. A vitória virá no tempo determinado na eternidade.

Como definir, na prática, a chegada da exaltação? Nem sempre é possível, mesmo que ela seja efetivada. No reino espiritual, há uma batalha sendo travada a todo instante.

Quando livramento de complicações de enfermidade é anunciado, a exaltação se apresenta e ainda deixa boas impressões. Enxergar o dia da honra dessa forma é para aqueles que aprenderam a conferir coisas espirituais com as espirituais (I Co 2.13).

E o que dizer do livramento de acidentes, mortes, perda de entes queridos? Olhos espirituais conseguem enxergar e pontuar essas ações como honra, exaltação. E da provisão de recursos financeiros? Ainda que seja pouco, nunca irá faltar na proporção de causar desgraças. Deus sempre vai suprir o necessário para evitar catástrofes.

Porventura, segundo a grandeza de seu poder contenderia comigo? Não; antes, cuidaria de mim. ( Jó 23:6)

 

            Jó compreendeu que, mesmo perdendo saúde e bens, e ganhando amigos que o acusavam dia e noite, Deus estava no controle de tudo. E cuidava dele. O momento da honra estava por vir.

            Por Auxilandia, pastora em Cristo, serva de Deus.

28 - 11 - 2012     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|