Não há outro, ó amado, semelhante a Deus, que cavalga sobre os céus para a tua ajuda e com a sua alteza sobre as nuvens. O Deus eterno é a tua habitação e, por baixo de ti, estende os braços eternos. (Dt 33.26-27)

            Era chegado o momento de Moisés completar sua carreira como líder de Israel. Várias advertências saíram de seus lábios para um povo que deveria se mover debaixo de  leis e estatutos ditados pelo próprio Deus.

  Mas o melhor estava por vir. Bênçãos repletas de graça e misericórdia proferidas após uma retrospectiva de sua longa vida, que evidenciou o poder do Deus de Israel, alegraram o coração da preciosa herança de Deus.

Feliz és tu, ó Israel, quem é como tu? Povo salvo pelo Senhor, escudo que te socorre, espada que te dá alteza. Assim, os teus inimigos te serão sujeitos, e tu pisarás os seus altos. (Dt 33.29)

Bênçãos recebidas exigem uma responsabilidade moral. É preciso cuidar das dádivas para que o inimigo não as leve. Esse cuidado consiste no exercício da fé no Deus que concede livramentos.

Invasões de estruturas diabólicas sempre existirão, mesmo que a fidelidade esteja inabalável. O que vai mover o coração de Deus para o envio de miríades de anjos protetores é a renovação da aliança divina a cada instante.

Os dias são maus. Por isso, faz-se necessário que a oração de uns pelos outros se torne uma realidade espiritual diária.

O momento da vitória acontece para aqueles que não retrocedem. Para os que diante de perseguições ativam a esperança e driblam os problemas espirituais.

Agora, pois, ó Israel, que é que o Senhor requer de ti? Não é que temas o Senhor teu Deus, e andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao Senhor teu Deus de todo o teu coração e de toda  atua alma, para guardares os mandamentos do Senhor, e os seus estatutos, que hoje te ordeno, para o teu bem? (Dt 10.12s; 14.22)

A graça veio por Jesus Cristo, que aboliu no calvário a lei em forma de ordenanças. Porém, a lei moral permanece.

As entrelinhas dos princípios divinos são eternas. Assim como Israel deveria, para seu próprio bem, amar e servir somente ao Senhor, para que a bênção não se afastasse de suas tendas, hoje, o Espírito Santo adverte aos corações:

 Tende cuidado, jamais aconteça haver em qualquer de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo.

(Hb 3.12)

Dias de angústias minam a fé. Leva o mais fiel a questionar: Onde está Deus?É normal esse tipo de pensamento por um pouco de tempo.

Entretanto, a bênção do Senhor não se afastará daquele que faz um ajuste imediato em sua opinião acerca do amor eterno do Deus que se faz presente nas horas difíceis. E sente sua mão protetora.

Inundar  os céus com louvor e gratidão é arma poderosa que afasta inimigos cruéis.

Adorar vem do hebraico Shachah e significa fazer com que alguém se prostre. Curvar-se diante de Deus, o único digno de adoração, é submeter-se à sua autoridade. Isso implica, também, receber dele as bênçãos espirituais e materiais.

Afinal, quem cavalga sobre as nuvens e se faz habitação eterna, morreu de braços abertos numa cruz, tornando-se maldição por todos que, pela fé, o recebem. Jesus, ao se tornar maldição e receber o título de Cordeiro que tira o pecado do mundo, é capaz de prover bênçãos sem medida para o Israel de Deus. 

E quem é o Israel de Deus, senão aqueles que se prostram ante a majestade de seu eterno poder? E dele recebem mais, infinitamente mais do que esperam.

Por Auxilandia, pastora em Cristo, serva de Deus.

20 - 03 - 2013     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|