Ora, àquele que é poderoso para vos confirmar segundo o evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério guardado em silêncio nos tempos eternos, e que, agora, se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações, ao Deus único e sábio seja dada glória, por meio de Jesus Cristo, pelos séculos dos séculos, amém!

 (Rm 16.25-27)

            O apóstolo Paulo não economizou palavras para dirigir ao Criador louvor e glorificação ao concluir sua carta aos irmãos de Roma.

 Aproveitou para fornecer informações importantíssimas como a revelação do evangelho por meio das Santas Escrituras vinda  na plenitude dos tempos.

Louvor, originado da  palavra grega epainos,  denota elogio dirigido a Deus em relação à sua glória.

Predestinou-nos para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus cristo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor da glória de sua graça. (Ef. 5-6)

Não pode haver dúvidas de que tudo que há na natureza deve existir para glorificar ao Senhor. E a humanidade feita herança de Cristo recebeu a incumbência divina de ser louvor da glória do Pai, Filho e Espírito Santo.

Nos detalhes práticos da vida,  que atitudes garantem o louvor?

 A palavra grega humneo  significa cantar, louvar, enaltecer.

Quando Paulo registrou, em suas cartas, palavras que enaltecem o Deus trino, bem como o salmista entoou  cânticos ao Santo de Israel, algo ficou marcado nos pergaminhos: as ações dessas pessoas eram, certamente, coerentes com o que brotava de seus corações.

Mas essa conclusão é verdadeira plenamente? Jesus ensinou que nem sempre isso ocorre. Ele alertou, citando oráculos do profeta Isaías, que o povo estava lhe honrando com lábios, porém a distância entre o que saía da boca e o que maquinava o coração era grande.

Louvar vai além de cantar, de proferir palavras carregadas de honra como resultado de boa opinião.

Louvor aceito por Deus deve refletir a coerência do comportamento com as palavras de glorificação.

Jesus é o esplendor da glória e a expressão exata do ser de Deus. (Hb 1.3)

Glória vem do grego doxa e denota opinião, avaliação.

Qual avaliação tem o homem feito do Deus criador? Deus revelou na pessoa de Jesus Cristo seu amor eterno, sua misericórdia e sua justiça.

 Por todos seus atributos que convergem na palavra amor, que á expressão de Cristo,  deve a humanidade engrandecer a Deus com palavras e atitudes.

Não há incoerências no reino espiritual.  A oferta de louvor e glorificação é aceita,  e se transforma em arma contra as ciladas do inimigo,  quando o que sai do coração  se iguala ao que profere a boca.

Glorifica a teu Filho, para que o Filho te glorifique a ti. (Jo17).

            Jesus assinalou que nada se faz sem ele. Nada se faz sem a dependência total no criador. O Filho, encarnado, não confiou em si mesmo para realizar a obra redentora no calvário. Tomou posse da ajuda divina.

Ora, todas as minhas coisas são tuas, e as tuas coisas são minhas; e, nelas, eu sou glorificado. (Jo17.10)

            Paulo afirma que temos a mente de Cristo. Como tal, tudo que somos e temos deve glorificar ao provedor e mantenedor do universo.

08 - 05 - 2013     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|