Aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. (Fl. 4.11)

            Aurélio define compreensão como a faculdade de perceber.

Perceber tem o sentido de saber ou conhecer por experiência e observação e vem do grego ginosko. Compreender, portanto, vai além do simples conhecimento e adentra o campo da prática dos princípios divinos.

            Foi exatamente pela vivência de situações agradáveis e desagradáveis que o apóstolo Paulo afirmou viver contente em toda e qualquer situação.

São ministros de Cristo? Eu ainda mais: em trabalhos, muito mais; muito mais em prisões; em açoites, sem medida; em perigo de morte, muitas vezes. Em trabalhos e fadigas, em vigílias, muitas vezes; em fome e sede, em jejuns, muitas vezes; em frio e nudez. (I Co 11.23,27)

            Sofrer é suportar, tolerar, ser paciente na doença, na pobreza, das decepções da vida. Desenvolver essas virtudes requer disciplina diária. Paulo conseguiu isso - e muito mais -, não de um momento para o outro. Foi uma caminhada longa, de erros e acertos. Quando, enfim, enxergou o invisível passou a deixar para trás tudo que o impedia de alcançar a estatura do varão perfeito.

E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades. (Fl. 4.19)

            Necessidade, neste contexto, passa pela peneira do que é útil, extremamente importante, para a sobrevivência.

Alegria, esperança, fé, certeza do cuidado divino são suprimentos essenciais à vida em Cristo Jesus.

            Como buscar em primeiro lugar essas virtudes para que as demais coisas sejam acrescentadas? Jesus afirmou que o reino de Deus deve preceder a todo propósito nesta terra. Na prática, começa com o pensamento.

Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento. (Fl 4.8)

            Paulo finaliza o versículo 9 afirmando que tudo o que os filipenses ouviram, viram e receberam dele deveria ser praticado. Somente com a disciplina diária da busca dos valores eternos a conclusão de poder tudo no Deus que fortalece permeia o pensamento, causa transformação no caráter e torna uma pessoa melhor.

            Saber estar humilhado, como também honrado; ter tanto fartura quanto fome; viver na esfera da abundância e de escassez fez de Paulo um praticante da Palavra e não somente observador. Tudo ele pôde naquele que o fortaleceu.

            Uma dica para lidar com o despreparo espiritual está no versículo 16 do capítulo 3 de Filipenses: Todavia, andemos de acordo com o que já alcançamos.

 Claro está que a perfeição é um alvo a ser conquistado a partir do abandono das coisas comuns ao velho homem, que se corrompe com enganos. O revestimento do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade, é a senha para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.

Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados. Cl 1.13)

A obra redentora do calvário foi  consumada para garantia da vida eterna e de uma vida abundante aqui na terra. Entretanto, é necessário  permanecer na fé, alicerçados e firmes, não deixando afastar-se da esperança do evangelho
(Cl 1.23). O coração que percebe o amor eterno de Deus pela humanidade aprende a lidar com as diversas situações da vida. Aprende buscar contentamento na tristeza e na alegria.

Por Auxilandia, pastora em Cristo.

 

22 - 05 - 2013     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|