Ainda que minha carne e o meu coração desfaleçam, Deus é a fortaleza do meu coração e a minha herança para sempre. (Sl 73.26)

           

Kleronomia (herança) em grego significa aquilo que é recebido como presente. Biblicamente, denota tudo que é recebido em obediência a certos preceitos. Aurélio define a palavra herança como “patrimônio deixado por alguém ao morrer.”

O Deus que vive para sempre, garantiu, nos tempos eternos, herança para todo aquele que nele crê. Que porção é essa que desce da eterna habitação e é suficiente para repartir abundantemente com tão grande número de herdeiros? A porção do Santo Espírito. A unção que despedaça todo jugo. A divina semente, que dá ao homem o discernimento entre o certo e o errado, o que pode fazer e o que não pode.

Tu me guias com o teu conselho e depois me recebes na glória.

 (Sl 73.24)

Asafe, um dos filhos da tribo de Levi, declara no Salmo 73 que seus pés quase escorregaram por veredas tortuosas, longe do Deus protetor, nos momentos em que meditou na aparente prosperidade dos ímpios. Ele chegou a invejar os arrogantes que prosperavam aos ritmos da violência, da opressão aos pobres e da falta de preocupação com os necessitados. Derramou sua alma a Deus clamando por justiça. E ainda justificou sua indignação:

Contra o céu desandam a boca, e a sua língua percorre a terra.

(SL. 73.9)

Para eles não há preocupações, o seu corpo é sadio e brilha.

 (Sl 73.4)

A experiência de Asafe em desabafar suas dúvidas com Deus rendeu-lhe um entendimento que foi além da falta de confiança. Pela inspiração do sopro do Espírito do próprio Deus, exclamou:

Em só refletir para pensar nisso, achei mui pesada tarefa para mim; até que entrei no santuário de Deus e atinei com o fim deles. Como ao sonho, quando se acorda, assim, ó Senhor, ao despertares, desprezarás a imagem deles. (Sl.16 e 21)

E o salmista concluiu sua oração com frases que derreteram seu coração de adorador:

Todavia, estou sempre contigo, tu me seguras pela minha mão direita. Os que se afastam de ti, eis que perecem; (Sl. 73. 23 e 27)

Asafe tira a dúvida sobre o falso crescimento dos soberbos: O que duvida traz em si o conhecimento abalado de Deus, e não firmado no trono da graça e da misericórdia. A herança maior recebe aquele que se regozija pela bondade de Deus, ainda que os olhos naturais não enxerguem assim, pois os olhos espirituais veem melhor que os da razão que não experimentaram o sobrenatural. E o sobrenatural só desce à terra mediante busca das coisas lá do alto.

O levita passou a considerar não o que acontecia ao seu redor. Ele projetou o olhar para um futuro em que Deus traria a compreensão de que riquezas materiais não eram sinais de prosperidade.

Quanto a mim, bom é estar junto a Deus; no Senhor Deus ponho o meu refúgio para proclamar todos os seus feitos. (Sl 73.28)

Com efeito, Deus é bom para com Israel, para com os de coração limpo. (Sl 73)

 

Por Auxilandia, pastora em Cristo.

07 - 08 - 2013     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|