Assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: toma esta escritura, esta escritura de compra, tanto a selada como a aberta, e mete-as num vaso de barro, para que se possam conservar por muitos dias. Porque assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: ainda se comprarão casas, campos e vinhas nesta terra. (Jr 32.14 e 15)

            Investir e poupar são mecanismos econômicos que garantem um futuro tranquilo e elevam a qualidade de vida. Para comprar um imóvel, é necessário pesquisa de mercado, de oportunidades profissionais e estudantis, além de outros fatores compensatórios do investimento.

            Por volta do ano 605 a.C., Deus ordenou ao profeta Jeremias que adquirisse uma propriedade na terra de Anonote, no momento em que Judá estava sendo sitiada pelo império babilônico. Como um bom investidor, o profeta tremeu nas bases. Comprar uma terra numa cidade tomada por inimigos? Qual a garantia de posse do terreno? Pelos cálculos  racionais, nenhuma. Pela matemática de Deus, todas: as possíveis e as impossíveis.

Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor: na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração, lhes inscreverei; eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. (Jr 31:33)

            A garantia do retorno do investimento foi dada pelo próprio Deus. Visões celestiais levaram o profeta a crer no cumprimento das divinas promessas.

            A certeza de que uma nova aliança seria feita por Deus e, como consequência do pacto, a impressão das leis do céu no coração do povo, deixou Jeremias bem à vontade para convocar seu amigo Baruc, o escriba, e lavrar a escritura.

            Setenta anos depois do exílio na Babilônia a terra seria devolvida ao investidor. E aconteceu. As promessas de Deus não falharam para Judá. Podem passar céus e terra. Podem desaparecer os mares, caírem estrelas do firmamento, desabarem as construções mais seguras do universo, todavia a Palavra do Senhor permanece até seu cumprimento e não volta vazia, nunca.

            O futuro da terra de Israel, especialmente de Judá, foi garantido pela firme direção divina na vida do profeta Jeremias e de todos os que se colocaram como intercessores. A graça divina foi suficiente para alimentar a confiança do remanescente fiel na boa palavra do Santo de Israel.

Porque te restaurarei a saúde e curarei as tuas chagas, diz o Senhor.

(Jr.  30)

            Essa é uma das promessas de Deus ao povo que sente prazer na estreita comunhão com o Espírito Santo. Jeremias ouviu este oráculo de Deus sendo dirigido à terra de Judá. Hoje, tomando posse dos princípios de Deus, que são eternos, podem-se realizar atos proféticos para desencadear o agir divino por meio da fé,  pautada nas Santas Escrituras.

Assim diz o Senhor: Ponde-vos à margem no caminho e vede, perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, andai por ele e acharei descanso para vossas almas. (Jr 16)

Para construir o futuro, não basta planejar estrategicamente usando recursos racionais e lógicos. É necessário andar pelo bom caminho, que é Jesus, o único que conduz à eternidade. Ele é a porta dos pastos verdejantes, da fonte que jorra para a vida eterna.

Acaso, a neve deixará o Líbano, a rocha que se ergue na planície? Ou faltarão as águas que vêm de longe, frias e correntes? Contudo, todos os do meu povo se tem esquecido de mim (Jr.18)

Futuro brilhante alcança todos que apresentam uma linha de conduta pautada nos ensinamentos da Palavra de Deus. Todos que se firmam nos movimentos espirituais da bondade, misericórdia, alegria e compaixão. Essas virtudes garantem, sempre, retorno em forma de livramento, curas, libertação das algemas da alma e, acima de tudo, vida eterna ao lado do Criador.

Por Auxilandia Pementa, pastora em Cristo.

 

 

 

 

14 - 08 - 2013     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|