ff     
       

Exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado. (Hb 3.13)

                        Errar o alvo, cometer um erro, tornar-se culpado. Tudo isso define pecado, a palavra que aparece na Bíblia Sagrada como algo que faz separação entre criatura e criador, entre o Deus Santo e o homem carente de sua glória. Pecar faz parte da natureza humana desde que Adão deu causa às manifestações satânicas ainda no Jardim do Eden por ouvir Eva, que foi enganada pela serpente, animal representativo do Diabo, o acusador, tentador e destruidor.

Escolher ouvir conselhos divinos ou sugestões malignas é tarefa humana. Dessa opção,  decorrem virtudes ou destruições que pontuam a vida no universo.

            É fácil escolher? Não. O reino dos céus é tomado por esforço. Por essa razão, o escritor de Hebreus avisou que hoje é o tempo da mútua exortação. A semente do joio que é lançada enquanto se dorme floresce. E traz consequências no reino físico. Projeta contendas, enfermidades, desequilíbrio financeiro, adversidades que retiram a capacidade de enxergar estradas tortuosas. Palavra de exortação é necessária ao retorno ao vivo e reto caminho.

Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do Diabo. (1 Jo 3.8)

            Se Jesus é a única verdade para salvação do homem, o tentador é a mentira e o incentivador para se errar o alvo divino. Por ser o universo movido por leis espirituais e físicas, a salvação exige um preço. O de sangue, que nenhum mortal pode pagar, foi oferecido na cruz do calvário, pelo Filho de Deus. Que parte na salvação cabe ao homem? A fé em Cristo Jesus, que tira o pecado do mundo.

E o seu mandamento é este: que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o seu mandamento. E aquele que guarda os seus mandamentos nele está, e ele nele. E nisto conhecemos que ele está em nós, pelo Espírito que nos tem dado. (1 Jo 3-23,24)

            Se atentamente ouvires a minha voz” foi o texto que marcou a presença divina após a libertação do cativeiro no Egito. O povo de Israel recebeu como meta espiritual guardar os mandamentos para que o bem viesse sobre si e toda geração futura. Naquele tempo, não havia Bíblia impressa, mas o Deus provedor levantou profetas que pelo raiar do dia, e até o por do sol, lançavam palavras de exortação, conforto e esperança. E ainda, numa manifestação de onisciência, garantiu, de geraçãoa geração. a conservação perfeita dos escritos. De onde se retiram palavras capazes de livrar a alma do laço do passarinheiro, do pecado que leva à morte? Das Sagradas Escrituras, que é a revelação de Deus para a humanidade incapaz de conhecer por si só os caminhos que conduzem à salvação. A partir do entendimento divino por meio de sua Palavra, do jejum e da oração, o Espírito Santo passa a fazer morada no coração. Assim, o aconselhamento se faz de forma segura, confiável, vinda do Trono da Graça, e produz frutos dignos de arrependimento.

Ensina a criança no caminho em que ela deve seguir. (Pv 22.6)

            O desafio de hoje é ensinar adolescentes e jovens, sobretudo quando conhecem os prazeres transitórios do mundo. As atrações mundanas arrancam o jovem do serviço do reino celeste, uma vez que a porta estreita exige dedicação de tempo e talentos. É bem mais tranquilo deixar de lado o dom que desce do Pai das Luzes e abraçar as tarefas apresentadas pelo reino secular. Crianças ainda obedecem. Só a unção que despedaça todo jugo é suficiente para convencer a mocidade a doar seu tempo e habilidade em prol da grande seara.

Portanto, quer
comais quer bebais, ou façais outra  coisa qualquer, fazei tudo para glória de
Deus. ( 1Co 10.31)

            Paulo expressou de forma bem prática o sentido da vida. Vivemos para Deus, por Ele e para Ele. E abrir mão disso é atrair para si o mal que entrou no mundo com o pecado de Adão. Mas, se por um homem entrou o pecado, por outro, Jesus Cristo, veio o perdão, a graça e a misericórdia.

A tua graça é melhor que a vida. (Sl 63.3)

            Jesus afirmou que é perdendo a vida aqui que se ganha para a vida eterna. Num nível de espiritualidade desejável, perder a vida significa abrir mão de valores terrenos para obedecer o Ide de Jesus. Jovens e adolescentes encontram dificuldades em compreender textos bíblicos por falta de uma exortação que os tira das mãos do maligno. Os laços são armados mansamente, com sapato de lã. Aos poucos, a destruição é plantada. Por isso, hoje é o dia da exortação que garante a paz, o bem e a harmonia.

Palavras carregadas de sabedoria devem ser lançadas para atrair pessoas aos ambientes livre do pecado.

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus. 

       
       
       
       
     
       
       
       
       
       
       
       
       
       
     
       
       
       
       
       

25 - 12 - 2013     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|