Ó Senhor dos Exércitos, feliz o homem que em ti confia.
(Sl 84.12)

 

            Manter prioridades em ordem traz, de certa forma, felicidade, já que, buscando em primeiro lugar o reino celeste, todas as outras coisas são acrescentadas (Mt 6:33).

            O vocábulo feliz vem do grego makarios e quer dizer bendito, bem-aventurado, santificado.  A palavra confiança denota ideia daquilo que está ou é posto debaixo de uma fundação. É garantia, certeza, crença em um porto seguro, numa rocha que não se abala.

Bem aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração se encontram os caminhos aplanados, o qual, passando pelo vale árido, faz dele um manancial. (Sl 84.5-6)

            Os filhos de Corá tomavam como suporte, para não se desviarem da promessa divina, o amor por Deus e pelo santuário. Lutas cercavam o coração agitado e simplesmente uma direção era seguida: amar a Deus para transpor vales áridos. Há um momento de passagem para os pastos verdejantes e águas calmas quando a confiança é dirigida ao Pai da Eternidade.

Porque o Senhor Deus é sol e escudo; o Senhor dá graça e glória.

(Sl 84.11)

            Sol é, para o universo, fonte de vida e luz. Sem ele, a vida desapareceria da terra. O salmista compara a fonte eterna de vida, que é Deus, com o sol e traz à lembrança aquilo que lhe faz continuar a caminhada até que passe a escuridão de sua alma. O sol é símbolo bíblico de justiça. Na nova criação, o próprio Deus será luz eterna para todos, dispensando, assim, a luz solar terrena.

Quão amáveis são os teus tabernáculos, Senhor dos Exércitos!

(Sl. 84)

            A bênção de confiar em Deus e de está em Sião, cidade em que foi construído o templo de adoração, foi, para os filhos de Corá, a fonte da verdadeira felicidade. A alegria da aproximação de Deus fortalece a alma.

Pois toda casa é estabelecida por alguém, mas aquele que estabeleceu todas as coisas é Deus. (Hb 3.4)

Porque nos temos tornado participantes de Cristo, se, de fato, guardamos firme, até ao fim, a confiança que, desde o princípio, tivemos. (Hb 3.14)

            Guardar a confiança tem como retorno a glória da presença de Deus em forma de proteção, graça e misericórdia. Não há outro caminho percorrido no vale das lágrimas que não seja desenvolver a fé, a confiança naquele que tudo criou. Ser participante de Cristo implica passar por sofrimentos para um dia alcançar a glória que há de ser revelada por ele em cada vida que o busca incessantemente.

Levanta-te, resplandece, porque vem a tua luz e a glória do Senhor nasce sobre ti. (Is 60)

            Todo crente é tanto recipiente da luz de Deus quanto o refletor dela. Portanto, não há outra saída: “vós sois a luz do mundo”, disse Jesus aos discípulos e às multidões que se assentavam para ouvi-lo atentamente.

            O contraste entre luz e trevas é realidade bíblica que simboliza a separação entre vida e morte eterna, entre salvação e julgamento. Mas também representa momentos pelos quais a humanidade passa continuamente devido às circunstâncias desagradáveis.

A confiança em Deus traz a felicidade que transporta o homem das trevas para a maravilhosa luz de Cristo.

            Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

26 - 03 - 2014     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|