Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria. (João 16.20)

 

            Para um filósofo, o texto proferido por Jesus Cristo desperta curiosidades e vai além de uma contradição. Aquilo que é paradoxo atrai o pensador. E para aqueles que buscam conhecer as entrelinhas das mensagens bíblicas? Faria sentido chorar enquanto o mundo se alegra? Não. Nenhuma estrutura de pensamento coerente leva o mortal a se sentir bem nos ambientes do choro, da lamentação e da tristeza.

 

Pouco tempo ainda, e já não me vereis. E outra vez pouco tempo, e me vereis de novo. Diziam, pois: O que significa este pouco tempo? Não entendemos o que ele quer dizer. (João 16.16)

 

            Verdadeiramente eles não entenderam. Ninguém entende as coisas do Soberano Deus sem a iluminação vinda do Espírito Santo.

            O Consolador só foi enviado após a subida triunfante de Jesus ao céu. Antes de sua descida como parte do cumprimento da promessa divina, os discípulos entendiam as parábolas apenas com a explicação do próprio Jesus. Ou por revelação do Santo Espírito quando assim era necessário.

 

“Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos. Vede que tenho predito.” Mateus 24:24-25

            E hoje? Entende-se bem as Escrituras? Depende da intenção da leitor. Os textos podem representar a própria palavra de Deus ou simplesmente uma história desprovida de revelação divina. Se o Espírito Santo encontrar lugar no coração humano, a Bíblia se torna o guia prático para se mover no mundo que jaz no maligno.

            Jesus falou aos discípulos que a tristeza do crente se transforma em alegria. E isso é fato, pois toda Escritura é inspirada por Deus para ensinar, confortar, e educar para a vida terrena e eterna. Quando, então, a tristeza se transforma em alegria? Quando a Palavra de vida penetra a ponto de separar a alma do espírito. E só penetra com a ação do Santo Espírito.

 

“E ele lhes respondeu: Vede que ninguém vos engane.”  Mateus 24:4

 

 O Espírito Santo devolverá a alegria, a esperança e o entendimento das realidades sagradas. Somente ele, pois a aparência do mundo produz a falsa paz.

 

Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vosso coração, sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo. (2 Pedro 1:19-21)

 

            E para o dia clarear é preciso esperar o tempo certo. Não sai o sol, ou a estrela da manhã, sem que o relógio movimente os ponteiros. Essa espera, muitas vezes, leva a humanidade a abandonar a meditação disciplinada nas Santas Escrituras.

 Porque quantas são as promessas de Deus, tantas têm nele o sim; porquanto também por ele é o amém para glória de Deus, por nosso intermédio.” (2 Coríntios 1:18-20).

 

            De onde derivam as promessas de Deus? Da Bíblia Sagrada, e por essa razão é preciso mergulhar em suas páginas e pedir a presença do Espírito Santo para clarear o que está encoberto. E isso mediante humildade, muita humildade, porque sem oração não é possível vigiar e nem obter o entendimento que vem do próprio Deus.

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

22 - 05 - 2014     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|