Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, para que eles sejam um assim como nós somos um. (João 17.11)

 

            A ternura invadiu o coração de Jesus e o levou a orar pelos discípulos no momento próximo à sua morte vicária. Como homem, o Salvador aprendeu que o companheirismo, a amizade e o trabalho em equipe no decorrer do ministério deixaram marcas de saudade.

 

Eu lhes dei a tua palavra, mas o mundo os rejeitou, porque não são do mundo, como eu não sou do mundo. (João 17.14)

            Mas não foi a saudade que motivou o Mestre a orar. Jesus estava atento em algo bem mais relevante: a maldade semeada pelo príncipe das trevas. Por essa razão, invocou o Pai a unidade entre eles e o livramento dos males, já que viver no mundo era algo inevitável. Todo ser que nasce cumpre uma jornada terrena.

O desafio é: vida guardada por anjos de Deus ou imersa nas artimanhas das hostes da maldade? A resposta está na quantidade de tempo investido em oração.

Consagra-os na verdade; a tua palavra é a verdade.
(João 17.17)

Jesus sentiu o peso do calvário nos ombros e clamou não só pelos companheiros de ministério. Ele foi além, porque a grande missão planejada desde os tempos eternos envolveu não só os que se achegam e recebem a graça salvadora de bom grado. Aqueles de coração rebelde são o principal alvo da ação redentora. E isso mediante a Palavra como única fonte de purificação das mazelas da alma humana.

A intercessão pelos que são do mundo promove a consagração pela verdade divina e os transporta para a realidade de estar no mundo sem ser dele.

 

A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.

Tiago 5:16

Biblicamente, qual o significado de ser justo perante Deus? Nada mais do que ser lavado pelo sangue do cordeiro que tira o pecado do mundo.

Homens de fé deixaram seus modelos de oração escritos para que gerações após gerações sejam edificadas.

 

E quanto a mim, longe de mim que eu peque contra o Senhor, deixando de orar por vós; antes vos ensinarei o caminho bom e direito.

1 Samuel 12:23

            Orar é uma obrigação. E como tal, deve ser seguida para que esse pecado não seja acrescentado na vida de quem recebeu a luz da salvação.

Senhor, ouve! Senhor, perdoa! Senhor, vê e age! Por amor de ti, meu Deus, não te demores, pois a tua cidade e o teu povo levam o teu nome.  Enquanto eu estava falando e orando, confessando o meu pecado e o pecado de Israel, meu povo, e trazendo o meu pedido ao Senhor, o meu Deus, em favor do seu santo monte, enquanto eu ainda estava em oração, Gabriel, o homem que eu tinha visto na visão anterior, veio voando rapidamente para onde eu estava, à hora do sacrifício da tarde. (Daniel 9-19)

Quando as forças decaírem, o clamor do coração é suficiente para tocar o céu. A verbalização é fundamental para que o poder da palavra fique registrado no mundo espiritual. Porém, há momentos em que o mover dos lábios é suficiente para atrair a presença dos espíritos ministradores das bênçãos divinas.

 

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

29 - 05 - 2014     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|