Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente.
 (
2 Coríntios 4:17)

 

         A alma encontra repouso em Deus, de onde vem a salvação. Por isso, é preciso conhecer Deus em sua plenitude e atrair seu Espírito na esperança de passar por tribulações ancorado na glória eterna que há de ser revelada.

 

Estou pregado na cruz com Jesus Cristo. Já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. (Gl. 2.19)

         Paulo compreendeu o valor da cruz de Cristo. O viver pautado pela glória que foi manifesta em Jesus passa, primeiro, pelo sofrimento.

Como existiu a via crucis reveladora do resgate do espírito humano, há um caminho recheado de provas e tentações para ser trilhado por quem se decidiu conhecer a potente mão de Deus.

O caminho é estreito, porém, como garantiu o Filho encarnado, conduz para vida eterna. E o largo? O largo é o apetitoso, com alegrias momentâneas e regalias terrenas. Mas seu fim foi confirmado por Jesus como morte eterna. E sem retorno.  

Em Deus faremos proezas; porque ele é que pisará os nossos inimigos.

(Sl 60.12)

Conceber Deus como fortaleza sugere a ideia de guerras, perseguições, inimigos por perto. Na paz, Deus se revela como o provedor, o amigo de honra dos banquetes. Na inquietude, ele vem como o socorro bem presente. Nas tribulações, aparece ele como torre forte, cidade de refúgio.

Viver nos ambientes do Evangelho de Jesus requer escolhas. Escolher o que se deve perder para ganhar em conhecimento da sublimidade de Cristo Jesus.

E viver conforme esse conhecimento. Entender que a vida se multiplica quando se divide as bênçãos recebidas. Principalmente as bênçãos espirituais.

E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro doutores, depois milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas. Porventura são todos apóstolos? São todos profetas? São todos doutores? São todos operadores de milagres? Têm todos o dom de curar? falam todos as diversas línguas? interpretam todos? Portanto, procurai com zelo os melhores dons. (1 Cor. 12)

A grande lei para a humanidade deixada por Jesus fundamenta-se na misericórdia. Olhar a miséria do outro com o coração iluminado pelo Espírito Santo é desenterrar os talentos e socorrer com os recursos que o próprio Deus supriu.

Quantas vezes uma palavra de sabedoria salva o que está sem rumo! E a mão que recebeu o dom de cura? Sendo manejada, a saúde brota e o doente se levanta.

Atitude de fé sempre indica fidelidade. Porém, não é a fé sem obras. É a fé que demonstra a salvação recebida pela graça divina por meio de atos caridosos. Nesse sentido, João registra em sua carta que o amor de Deus está no coração de quem abre a mão a favor do necessitado.

Quem possui bens deste mundo e vê seu irmão passar necessidades, e lhe fecha o coração, como estará nele o amor de Deus? (1 Jo 3.17)

 

A revelação do amor de Deus como fortaleza se enxerga por meio das ações humanas, das atitudes de homens e mulheres que foram alvos do derramamento da plenitude do Espírito em seus corações. Dessa forma, Jesus continua as obras iniciadas em sua vida terrena. Hoje, ele as executa por meio de seus seguidores.

Ao subir, o Cristo ressurreto atribuiu a humanidade uma missão:

Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura. (Mt 28)

 

Pregar o evangelho não é simplesmente falar sobre o evangelho. É se mover em todas as direções dadas por Deus para ganhar almas. Isso envolve desenterrar dons e talentos recebidos, compartilhar recursos materiais e realizar a total entrega do ser a Cristo.

Se Paulo afirma que ninguém é detentor de todos os dons, resta claro a necessidade da comunhão com todos os cristãos para edificação do corpo de Cristo.

Uns, com a imposição de mãos, manifesta a glória de Deus com cura. Outros, com a palavra de conforto, direção e exortação faz brilhar a luz de Jesus na vida do angustiado.

E assim, o Deus forte se faz presente e o mundo se renova para experimentar sua boa, perfeita e agradável vontade.

Está alguém entre vós aflito? Ore. Está alguém contente? Cante louvores.
Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.

(Tiago 5.13)


                  
Tiago descreve a ação contínua durante a caminhada do cristão por meio do serviço que pontuou o ministério do Cristo encarnado. Oração, cânticos, imposição de mãos, estudo sistemático das Escrituras, jejum e congregar são atitudes que espelham a vida daquele que foi recriado segundo a verdade e justiça de Deus. Viver assim é esperar o peso de glória excelente produzido por meio das tribulações.

 

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

31 - 07 - 2014     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|