Aceita a disciplina, ó Jerusalém, para que eu não me aparte de ti; para que eu não te torne em assolação e terra não habitada. (Jr 5.8)

            Obediência vem do grego hupakoe, palavra formada de hupo (debaixo de) e akouo (ouvir). O sentido da palavra se traduz em escutar e submeter a uma autoridade.

            Quem é a autoridade máxima na vida do cristão? O Espírito do vivo Deus deve ser aquele que guia, orienta, exorta, disciplina. Ele dita as normas de conduta espiritual a ser seguida por quem deseja atrair as bênçãos da região celeste.

Não temereis a mim? Diz o Senhor; não tremereis diante de mim, que pus a areia para limite do mar, limite perpétuo que ele não traspassará?

            Na vida recriada segundo a verdade e justiça divina, a fé é o ato primeiro. Sem ela, não há como agradar ao Pai Celeste. Mas como demonstrar a fé que é algo invisível, abstrato e que habita no interior de cada um? Pela obediência.

Porque as armas de nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo. (Cl 10.4-5)

             Cabe à humanidade uma atitude responsável diante do ato de obedecer. A primeira é anular o pensamento que se baseia exclusivamente no conhecimento natural.

            É preciso entender o que o apóstolo Paulo enfatizou aos irmãos de Éfeso: a luta não é contra nada que tenha aparência de natural, embora se trave no reino físico.

            Todo planejamento da luta é elaborado estrategicamente no reino espiritual, naquele em que os olhos deveriam está postos. Paulo afirmou que armas  capazes de destruir a maldade não são carnais, portanto o combate ao mal deve ser com armas espirituais. Uma delas é a obediência aos princípios divinos estabelecidos nas Sagradas Escrituras e em ordens do Divino Espírito Santo.

            Jeremias proferiu oráculo ao povo de Israel de forma clara e direta. Aceitar a disciplina era o  alicerce para que a presença protetora do Deus criador se fizesse constante.

Guardai-vos por amor de vossa alma. (Jr. 17.21)

            A insistência de Deus em mostrar o erro produziria o livramento para o povo obediente. Porém, nem todos ouviram. Tão somente afirmaram:

Andaremos consoante nossos projetos. (Jr. 18.12)

            Obra, em grego, é a palavra Ergon. Exprime o sentido de trabalho, ação, ato. Israel foi levantado para trabalhar na grande seara de resgate da humanidade. Entretanto, apenas um remanescente fiel seguiu como luz para as nações.

            Da tribo de Judá, da linhagem do rei Davi, descendeu o Rei dos reis. Jesus veio como servo sofredor e comissionou seus seguidores a labutarem em prol da implantação do reino da luz. 

            Vale a pena obedecer ao chamado de servo sofredor? Sim. Carregar no corpo a marca do sofrimento de Cristo é a garantia de herdar as moradas eternas.

            A capacidade de obedecer envolve suportar as aflições que desenham o dia mal.

Por Auxilandia, pastora em Cristo.

28 - 08 - 2014     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|