Nova criatura

Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. (Jo 10.10)


            Jean Paul Sartre afirmou que o fato de existir exige um significado. O filósofo tem razão. Existir para quê? Por quê? Jesus trouxe a resposta: ele apresentou a vida pautada na grande riqueza. Ser rico para com Deus atrai a abundância necessária para se mover no presente século.

            A terra e toda sua plenitude pertencem a Deus. A riqueza a ele apresentada é o coração quebrantado com a realização do bem ao próximo. E não é qualquer próximo. É aquele que realmente necessita.

 

O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir. (Jo 10.10)

 

            Bios vem do grego e traduz ideia de vida orgânica, fôlego que sustenta a humanidade para as atividades vitais. Desafios, incentivos e situações surgem na caminhada e requerem uma nova maneira de pensar.

Ocupar o pensamento no que representa virtude, agir e produzir frutos de uma vida abundante passa pelo filtro do conhecimento das Escrituras.

            A cada instante o inimigo da alma humana lança setas de pensamentos contrários aos ensinamentos bíblicos. As respostas são buscadas no campo natural e nada há que possa ser feito. Nasceu assim, ficará assim, porque a natureza do ser foi elaborada de certa forma. Esse entendimento não encontra conformidade com a ordem criadora de Deus, que forma o homem no ventre da mãe conforme sua imagem e semelhança. Não com defeitos de natureza. O próprio Jesus ensinou que o ladrão vem e rouba, mata, destrói.

Quando o conhecimento do reino celeste é roubado por Satanás, a vida perde o sentido. Há uma destruição que se levanta lentamente. Por isso, Jesus insistiu em avisar aos discípulos que ele representa vida abundante. Ele vem à humanidade por meio da oração. Por isso, qualquer distorção de caráter, personalidade, atitudes devem ser postas diante de Deus na oração para que a vida em abundância alcance o coração e faça surgir a nova criatura.

Nos detalhes práticos, o que significa ter Jesus como fonte da nova vida recriada segundo Deus?

E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.  

(Jo 8.32)

Aurélio define verdade como princípio certo. Quem é o princípio de tudo? Jesus. Por isso, a verdade é ele, está nele, vem dele. Conceitos, valores e estilo de vida devem ser extraídos da Bíblia, que é a revelação do Filho de Deus.

O dedo de Deus age e intervém contra a maldade do mundo.

Existe uma lei espiritual que não pode ser quebrada: Deus deve ser invocado. Assim como a força maligna ganha terreno com a invocação dos satanistas, o povo que se chama pelo nome de Deus obtém a graça pela invocação.

Se esse meu povo, que se chama pelo meu Nome, se humilhar, orar e buscar a minha face, e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e seus erros e sararei a sua terra.

( 2Cr 7:14)

O mundo caminha pela soberba. A ideia de que a natureza humana é que rege o caráter de alguém retira a possibilidade de invocar Deus e obter cura.

Pra que orar, se Deus tem tudo sob controle? Esse é o maior engano do atual século. A premissa de que Deus permite tudo dá ao pensamento a sensação de que a responsabilidade pelo que acontece é de Deus. E não é assim.
            Buscar Deus nos sofrimentos é fácil. O coração se quebranta e ainda se consegue reverter o mal adquirido. Mas, quando a festividade entra, não há quem se lembre de invocar o nome do Senhor. A nova criatura revela publicamente  Deus na alegria e no sofrimento.

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

25 - 12 - 2014     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|