Levanta-te, resplandece, porque vem a tua luz e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti. (Is.60)


            Resplandecer é refletir brilho. Israel foi impactado com a mensagem profética de Isaias para sair de um ambiente de imobilização e avançar reluzindo.

            As constantes guerras, invasões e opressões que pontuaram o cenário do povo israelita contribuíram para que a tristeza invadisse o coração e a falta de energia chegasse lentamente, mas com determinação.

 

Porque eis que as trevas cobriram a terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti o Senhor virá surgindo, e a sua glória se verá sobre ti. (Is. 60.2)

           

            Mas, como o choro pode durar a noite inteira, vindo depois disso a alegria que sempre desce da eternidade, Isaías exorta o povo a levantar-se. Ou seja, a tomar uma atitude contrária à sugestão maligna de parar.

            Mesmo que problemas de toda sorte cobriam a terra, o povo escolhido deveria passar pelo momento do medo, já que humanos foram feitos com essa característica, porém deveria, da mesma forma, vencer o medo.

            Como venceriam? Com a ajuda do Eterno Deus.

A glória do Líbano virá a ti; a faia, o pinheiro e o buxo conjuntamente, para ornarem o lugar do meu santuário, e glorificarei o lugar em que assentam os meus pés. (Is. 60.13)

            Tudo esteve preparado na agenda eterna para que a Casa de Deus fosse ornamentada e estivesse no ponto de receber os fiéis para adorarem com o coração quebrantado e confiante.

            A oração, o cântico de louvor e as oferendas seriam recebidas por Deus e, como consequência da busca por vida no Senhor, a paz reinaria, mesmo diante da escuridão e das trevas que assolavam em pleno meio dia. Essa foi a promessa proclamada pelo profeta. Preparar a Casa de Oração para garantir a luz divina.

Conforme forem as obras deles, assim será a sua retribuição; furor, aos seus adversários, e recompensa, aos seus inimigos.  Então temerão o nome do Senhor, desde o poente e a sua glória, desde o nascente do sol; vindo o inimigo como uma corrente de águas, o Espírito do Senhor arvorará contra ele a sua bandeira. (Is. 58.18)

                        O cálice da ira do Senhor tem um limite. Ele é complacente, clemente, perdoador e que lança no mar do esquecimento toda transgressão. Mas, quando o tempo do juízo contra os inimigos dos escolhidos chega, a vingança divina se apresenta como o último recurso diante dos adversários.

            As cordas de amor vão sendo lançadas, até que o Espírito do Senhor ora ao Pai com gemidos inexprimíveis e o socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra e não permite que seus filhos sejam tentados pela maldade além de suas forças. Os inimigos são surpreendidos com a espada justiceira.

Nunca mais se ouvirá de violência na tua terra, de desolação ou destruição, nos teus termos; mas aos seus muros chamarás salvação, e às tuas portas, louvor. (Is. 60.18)

            Promessa linda saída da boca de Isaías, a quem Deus comissionou para deixar registrado com caneta de ouro a fidelidade divina para com os que se levantam e resplandecem confiados na força que vem do Senhor, e não na sua própria sabedoria.

Nunca mais se porá o teu sol, nem a tua lua minguará, porque o Senhor será a tua luz perpétua, e os dias do teu luto findarão. (Is 60.18)

 

            Esse tempo já chegou com a vinda de Jesus como o Filho encarnado. O reino celeste foi implantado na terra por ele e está no coração de cada um. Não que o luto, ou a lua minguada não apareçam na caminhada terrena. Porém, a luz de Deus resplandece na mente cujo pensamento está firme Nele. E toda escuridão enviada pelas setas malignas é desfeita.

            Mas é preciso levantar, resplandecer.

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

29 - 04 - 2015     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|