Guardemos firme a confissão da esperança sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel. (Hb 10.23)

            Indivíduo vitorioso é aquele que vence em Cristo Jesus. Posse financeira nunca foi significado de vencedor por meio daquele que a si mesmo se entregou e revelou amor eterno.

O Senhor reina. Está vestido de majestade; o Senhor se revestiu e cingiu de fortaleza; o mundo também está firmado e não poderá vacilar.

 (Sl. 93)

            A garantia de que o Senhor criou o universo e o mantém sob a palavra de seu poder tem validade eterna. Mas é preciso guardar a promessa sem desacreditar. E confessar diariamente o poder da fidelidade que permanece mesmo diante das infidelidades humanas.

Porque as estrelas dos céus e os astros não deixarão brilhar a sua luz; o sol se escurecerá ao nascer, e a lua não fará resplandecer a sua luz.

 (Is. 10)

            Há leis criadas que seguem a rotina programada desde o dia em que a palavra de Deus fez florescer as coisas que existem.

Entretanto, não é certo que continuem de forma automática a realizar os movimentos para os quais foram criados. Se Deus intervir e mudar o ritmo natural, tudo terá que se render às ordens soberanas.

Isaias descreveu o dia em que o senhor decide emitir o seu juízo. Ele registrou poeticamente a intervenção divina nos astros criados. Assim é na vida do ser humano.

O ímpio não prevalece no meio dos justos indefinidamente. Quando o juiz de toda terra emite a sentença favorável ao oprimido, o opressor recebe a retribuição de suas obras más.

Mas é preciso guardar a confissão da esperança sem vacilar, como declarou o escritor de Hebreus.

 

Livra-me e tira-me das mãos dos ímpios, cuja boca fala vaidade e cuja mão direita é a destra da iniquidade. Para que nossos filhos sejam como plantas, bem desenvolvidos na sua mocidade; para que as nossas filhas sejam como pedras de esquinas lavradas, como coluna de um palácio. (Sl 144.11-12)

Davi orou ao Senhor dessa forma. Clamou pelo livramento das mãos do homem vaidoso e perverso. E entendeu que o crescimento dos filhos se firma na rocha quando o ímpio é afastado. Para que as filhas sejam mulheres sábias e ajudadoras é preciso orar pela vitória sobre os malfeitores.

Com fé inabalável naquele que tudo pode. Não adianta buscar respostas em questões naturais. A raiz dos males vem do reino da maldade que habita as regiões celestes. E quem tem a armadura de Deus, pela confissão da fé na promessa daquele que é fiel, aguarda o abatimento do inimigo e a vitória nas questões mais difíceis. Naquelas em que a esperança já amorteceu.

Abaixa, ó Senhor, os céus e desce; toca os montes, e fumegarão. Vibra os teus raios e dissipa-os; envia as tuas flechas e desbarata-os.

(Sl 144.5)

Quem tem que sair são os inimigos. Não as vítimas do sistema espiritual da maldade. O dom do discernimento capacita os filhos de Deus a entenderem que a discórdia e todo tipo de facção não vem de Deus. Vem do maligno. A oração quebra as forças do mal e retira o ódio do coração. A raiva e todo sentimento que faz separação é um veneno que mata o corpo e a alma de quem se alimenta desse poder mortal.

Por essa razão, Paulo ensina que a carne milita contra o espírito. Se o alimento dado é para fortalecer a carne, o ódio vence. Se o espírito é preenchido com orações, jejuns e leitura bíblica, o amor ganha a guerra e harmoniza o ambiente.

Louvarei ao Senhor durante a minha vida; cantarei louvores ao meu Deus enquanto viver. (Sl 146. 2)

Louvor de um coração que guarda firme a confissão da promessa é aceito nas moradas eternas.

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

23 - 07 - 2015     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|