De uma só boca procedem bênção e maldição. Não é conveniente que essas coisas sejam assim (Tiago 3.10)

            Bencão denota ideia de felicidade, prosperidade, bem aventurança. É também a concessão de um favor por parte de alguém.

            O próprio Deus, em seu eterno poder, concede favores aqueles que temem seu nome, aos quais ele dá a conhecer sua aliança.

            A maldição foi amplamente mencionada no Antigo Testamento e somente pode ser revogada até que um poder espiritual superior intervenha trazendo libertação. Era lançada por meio de encantamentos e feitiços.

Feliz és tu, ó Israel! Quem é como tu? Povo salvo pelo Senhor. (Dt 33.29)

            Aquele que tem a salvação recebe libertação das palavras malditas recebidas. Jesus ensinou que jejum e oração repreendem certos tipos de castas. A salvação deve ser desenvolvida com temor e tremor, como ensinou Paulo aos filipenses.

            O estado de bendito nem sempre se expressa com situação de sucesso na vida racional.

            Há benditos do Senhor que sofrem humilhação, sofrimentos e perdas financeiras, mas a condição de bem aventurança permanece, pois obras de feitiçarias e encantos são quebrados para que a tentação do mal não atinja além de suas forças.


Toda língua que ousar contra ti em juízo, tu a condenarás. Esta é a herança dos servos do Senhor e o seu direito que de mim procede, diz o Senhor. ( Is. 54.17)

            A maldição tem que ser cancelada com a condenação vinda por meio do exercício da Palavra que produz bênção. A palavra de Deus ensina que jejum, oração, unção aos enfermos e o revestimento de toda armadura de Deus é a forma prática de condenar os feitiços e encantamentos (maldição) proferidos por quem faz aliança com as trevas.

Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus (Rm 8)

            Em algumas versões, a tradução é “nenhuma maldição há para os que estão em Cristo Jesus.”

            No contexto de Romanos, maldição se refere à segunda morte, estendida a todos que rejeitarem o sacrifício de Jesus para salvação eterna. Aqueles que estão em Cristo Jesus não irão herdar a segunda morte, ou seja, a maldição do pecado. Cristo se fez maldito por nós. Ele levou sobre si o pecado que nos trouxe a libertação da maldição do pecado, que é o lago de fogo, preparado para o Diabo e seus anjos.

Com a língua, bendizemos ao Senhor e Pai; também com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. ( Tiago 3.9)

            Quem abençoa os homens? Certamente os que têm aliança com Deus. Quem amaldiçoa? Os que têm aliança com as trevas.

            O contexto de Tiago deve ser alinhado com as palavras de Isaias, que ordena a condenação da língua que ousar em juízo. É o caso das feitiçarias enviadas, que devem ser refutadas com a Palavra que produz vida e com a posse das armas espirituais poderosas em Deus pra desfazer sofismas e toda altivez que se levanta contra a verdade em Cristo Jesus.

            Bênção ou maldição. A língua humana tem esse poder, dependendo da aliança que se faz com a luz ou as trevas. Entender que por ter recebido Jesus como Senhor e Salvador é suficiente para não ser atingido pelas maldições é andar em ambientes de perigo espiritual. É preciso ter uma atitude responsável e buscar em Deus o livramento para as maldades enviadas por meio de maldições.

Ora, a língua é fogo; é mundo de iniqüidade; a língua está situada entre os membros de nosso corpo, e contamina o corpo inteiro, e não só põe em chamas toda a carreira da existência humana, como também é posta ela mesma em chamas pelo inferno. (Tg 3.6)

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

27 - 08 - 2015     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|