Multiplicarei o fruto das árvores e a novidade do campo, para que jamais recebais o opróbio da fome entre as nações. (Ez.36.30)

            Fome é a escassez de víveres. É falta de alimento que traz o sustento necessário para se mover na terra.

            O profeta Ezequiel presenciou fatos que marcaram a vida dos judeus após o exílio na Babilônia. A fome, não só de pão, mas da Palavra de Deus, retirou a energia de reconstruir a vida quando do retorno à Jerusalém.

Já não esconderei deles o rosto, pois derramarei o meu Espírito sobre a casa de Israel, diz o Senhor Deus. (Ez.39.29)

            Palavras que apontaram para a salvação do povo cativo serviram como esperança responsável, uma esperança que purifica e garante a continuidade da caminhada estreita.

E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro. (1 Jo 3.3)

            As promessas de Deus se cumprem, mesmo que ainda aguardem uma era futura, em que as forças malignas são vencidas pelo poder do nome que está acima de todo nome: Jesus.

            Mas é preciso ter um coração quebrantado, aberto para a Palavra da salvação.

Dar-lhe-eis um só coração, espírito novo porei dentro deles; tirarei de sua carne o coração de pedra, e lhes darei coração de carne. (Ez. 11.19)

            Ninguém, por mais fiel que seja ao Senhor, pode, por si só, quebrantar o coração. É preciso buscar Deus em oração, jejum e estudo sistemático das Santas Escrituras.

            Jesus disse, em uma de suas pregações, que seriam bem aventurados os que tivessem fome e sede de justiça. Quem é a justiça nesse contexto? É ele próprio.

Flexibilizar o pensamento para receber os preceitos de vida enviados do Trono da Graça é manejar o martelo, que esmiúça a pedra e garante um coração de carne.

            Sem a palavra da salvação não há vida, e a pessoa, com fome física e espiritual, permanece carente de suprimento.

            Mas é preciso cultivar a fé que transporta montes. Sem fé, é impossível agradar aquele que tem a palavra da salvação. A fé, além de justificar, une o homem a Cristo.

            Todo o movimento espiritual de busca da Palavra da salvação tem um propósito sublime: serviço mútuo entre o povo de Deus. 

            Paulo advertiu aos irmãos de Roma:

Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. (Rm 12.10)

            O amor fraternal que acolhe o fraco sem discutir opiniões e o ajuda a fazer a obra que Deus confiou em suas mãos revela o quanto a salvação foi desenvolvida com temor e tremor.

           
            Dessa forma, o fruto das árvores e a novidade do campo permearão a vida dos homens na terra. Não só comida física, mas, sobretudo, a que garante acesso à vida eterna, por meio de Jesus Cristo, o Senhor que era que é e que há de ser.

Então, o homem me levou à porta que olha para o Oriente. E eis que, do caminho para o Oriente, vinha a glória do Deus de Israel, e a sua voz era como o ruído de muitas águas, e a terra resplandeceu por causa de sua glória. (Ez. 43.1-3)

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

08 - 10 - 2015     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|