Esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.
(Fl 3:14-15)

       Um dos ícones da Igreja dos primeiros séculos, Agostinho, fez uma pergunta e respondeu sabiamente: “ O que é tempo? Se ninguém me perguntar, eu sei o que é; se me perguntarem e eu for tentar explicar, eu não vou saber dizer.” Aurélio define tempo como “A sucessão dos anos, dos dias, das horas, etc., que envolve, para o homem, a noção de presente, passado e futuro”. Estamos já no limiar de mais um ano e um novo tempo surge na história de nossas vidas. Mas que diferença faz a mudança no calendário? Para os que vivem na órbita do ardente amor de Deus, para os que nasceram de novo, no Espírito, surge uma nova oportunidade de agregar valor ao reino de Deus, de contemplar as maravilhas que o Senhor realiza no decurso dos anos. O grau de importância está no entendimento da realização da vontade de Deus e não dos simples acontecimentos que se desenrolam em momentos irreversíveis.

“Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus (Ef.5:16)
       O apóstolo Paulo nos ensina remir o tempo e a compreender que essa dádiva de Deus deve ser utilizada na busca de sabedoria que vem do trono da graça, como uma virtude que nos leva ao conhecimento de Jesus. “Busquem o Senhor enquanto é possível achá-lo; clamem por Ele enquanto está perto. Que o ímpio abandone o seu caminho, e o homem mau, os seus pensamentos. Volte-se ele para o Senhor, que terá misericórdia dele” (Is. 55:6). O profeta Isaías nos conduz à dimensão do aproveitamento do tempo buscando a face do Senhor enquanto podemos encontrá-lo. Sem a presença de Deus, nossa caminhada fica estática no tempo.

       Os gregos antigos possuíam duas palavras para conceituar tempo: Cronos e Kairós, indicando o tempo linear, aquele contado matematicamente no relógio, e o tempo oportuno, ou seja, a descrição daquelas portas que se abrem num momento da vida e se fecham noutro. Para os helênicos, o Kairós dava um sentido dinâmico ao Cronos. O transpor dos segundos cronologicamente não era importante para definir o curso da vida de alguém, mas o que se fazia enquanto o tempo passava. As horas para eles se movimentavam repetidamente, porém não as oportunidades. Paulo entendeu bem as diferenças e escreveu aos filipenses, alertando-os para que colocassem no mar do esquecimento as coisas passadas e avançassem para as que estavam diante deles. E pontuou na escala de valores da vida a importância de se prosseguir para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. O próprio Filho de Deus disse aos discípulos que sem Ele nada se pode fazer. Investir tempo em oração é abrir portas de oportunidades de crescimento material e espiritual. O momento em que as pessoas se sentem abertas a experiências com Cristo é o tempo considerado único e precioso (kairós). É buscar o reino de Deus para que as demais coisas sejam acrescentadas. (Mt. 6:33).

       A Igreja Evangélica Missionária Brasileira deseja um Ano Novo cheio de bênçãos divinas a você, a sua família, a seus amigos e a todos quantos você deseja.

Por Auxilandia, pastor em Cristo, serva de Deus.

5 - 1 - 2010

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|