Pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento ( Tg 1:6)

 

 

         O dicionário Vine apresenta o verbo de origem grega aporeo (duvidar) para expressar o sentido daquele que está sem caminho, sem saída e sem recursos. Também daquele que está perplexo, na incerteza. Essa foi a palavra que Tiago usou para indicar a causa da derrota na busca da sabedoria que desce do alto.  Dúvida seria a barreira para não alcançar pedidos enviados ao Trono da Graça.

Duvidar faz parte das conexões lógicas do cérebro e é benéfico ao desenvolvimento intelectual, quando não for causa de desespero.  A partir daí, o resultado é a não conclusão de metas. É incredulidade que paralisa e mortifica.

 

Homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos...(Tg 1:7).

 

A certeza das coisas que se esperam (conceito de fé atribuído por Paulo) é o caminho para não deixar de crer. Já que a dúvida desfaz pensamentos básicos para um salto na vida, fé virou necessidade número um em qualquer caminhada. Mas a fé saudável é a que  move montanhas da incredulidade e anula a dúvida destrutiva.  Deus deve ser o foco de qualquer convicção. É nele que toda esperança deve ser firmada.

 

A perseverança deve ter ação completa ...(Tg 1:4)

 

         Tiago explica acerca do abandono da dúvida destrutiva. É necessário permanecer crendo, para concluir projetos. Perseverar exige disciplina. E deve ter ação completa. É começar e terminar. A soma das conquistas das pequenas coisas resulta no milagre  que tanto aguardamos.

 

Bem aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação...(Tg1:12)

 

         Na estrada das realizações há provação. Lutas são travadas e barreiras colocadas diante do ser humano em seu trajeto vital. Inconstância e  indisciplina são pilares do fracasso. Suportar provações é a senha para as bem aventuranças. Provações na vida espiritual e física são sublimadas pela coroa da vida prometida aos que amam a Deus.

 

O Deus que se revela com amor eterno exige de seus filhos uma postura de fé, expressa na obediência  aos seus comandos diários por meio do Espírito Santo.

 

Pouco sabemos sobre o reino espiritual, mas devemos crer que Deus não pediria algo sem propósito eterno.

 

         Pistis é a palavra grega usada no Novo Testamento que descreve persuasão firme, convicção fundamentada no ouvir. O reconhecimento da verdade de Deus é a fé requerida divinamente.  A fé de Abraão e de outros grandes heróis bíblicos repousava no próprio Deus.

 

Damos, sempre, graças a Deus, por todos vós, mencionando-vos em nossas orações, e, sem cessar, recordando-nos, diante do nosso Deus e Pai, da operosidade da vossa fé, da abnegação do vosso amor e da firmeza da vossa esperança em nosso Senhor Jesus Cristo. ( 1Ts 1:3).

 

         Paulo afirma o valor da fé, do amor e da esperança.  E a fé mencionada por ele é operacional, que se estabelece num fazer, num agir de forma responsável. Os tessalonisenses demonstraram com obras a fé que desenvolveram em Jesus Cristo. Paulo elogia essa atitude e informa que eles se tornaram modelo para todos os crentes da Macedônia.

 

         É necessário não duvidar da mais elevada existência secreta, pois isso é o que Deus é em si mesmo. Mistério que se revela mediante a fé. Ele se manifesta de forma pessoal e milagrosa a partir da crença de cada coração.

 

Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu interior." João 7:38

 

 

         O elemento essencial da pregação de Jesus é a fé. A fonte que jorra água que dá vida vem do Filho de Deus. E sem fé, como escreveu Paulo, é impossível agradar a Deus.

 

O JUSTO, PELA SUA FÉ, VIVERÁ (Hc 2:4)

 

Quem reconhece que Jesus é que torna o homem justo diante de Deus, vive sustentado pela graça divina e movido pela fé.

 

Por Auxilandia, pastora em Cristo, serva de Deus.

11 - 03 - 2011     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|