Sua mãe disse aos que estavam servindo: Fazei o que ele vos disser.

(Jo 2.5)

            Numa festa de casamento onde o vinho melhor era servido primeiro, Jesus ordena que sirvam um vinho por ele produzido. Na mente dos convidados, o vinho seria de qualidade inferior. Porém, foi o melhor e mais agradável ao paladar.

            Maria foi guiada pelo Espírito a pedir ao filho que providenciasse o que faltava. Mas, para isso, Jesus pediu aos que serviam que preparassem talhas para serem enchidas.

            Jesus nos pede algo, todos os dias. Temos ouvido a voz e obedecido? Muitas vezes são pedidos que exigem um esforço maior. Outras vezes, coisas simples de fazer.

Disse o rei a Ester, no banquete do vinho: qual é a tua petição? E se te dará. (Ester 5)

            Ester foi sensível ao pedido do povo. Ela bem poderia não ter arriscado a vida. Porém, confiante no poder espiritual do jejum, ela foi de cabeça erguida e recebeu do rei as boas vindas quando ele estendeu o cetro de justiça.

Se ganhei as tuas boas graças, ó rei, e se for de teu agrado, concede-me a vida, eis o meu pedido, e a vida do meu povo, eis o meu desejo.

 (Ester 7.3)

            Pediu livramento. Não foi fácil exercer a bênção que recebeu não. Teve que conclamar o povo a uma luta. O rei já havia dado a palavra de destruição.

            Mas juntamente com a palavra de destruição, veio o sinal de socorro. Poderiam livremente guerrear contra os malvados. Ester e seu povo venceram.

E não vos veio tentação que não pudessem suportar. Mas juntamente com a tentação, vem o livramento, de forma que possais vencer.

(1 Co. 10.13)

            Tiago afirma que Deus não tenta a ninguém. O mal vem pelas invocações de satanistas. Porém, nem o louco errará o caminho, conforme explica Isaias.

            O Deus protetor envia anjos para que a verdade seja revelada e os pés retirados do caminho que apontam para a perdição.

            Mas há uma turma que preferem seguir a prática do mal. Para esses, vejamos o que diz Paulo:

            Para aqueles que por espírito de rebeldia, desobedecem à verdade e se submetem à iniquidade, estão reservadas ira e indignação. (Rm 2.8)

            Não há meio termo. Ou é quente, ou é frio. Morno é vomitado, conforme João foi revelado na ilha de Patmos.

            Obedecer ou não a um pedido de Jesus é uma escolha que só se faz mediante busca com jejuns e orações. Ninguém, por si só, obedece. A natureza humana já nasce com a herança do pecado.

O que é que o Senhor pede de ti? Não é que pratiques a justiça, ames a misericórdia, e andes humildemente com teu Deus? (Mq 6.8)

            É preciso uma ginástica repetitiva para o resultado de obediência se firmar. Esse exercício envolve a leitura e meditação da Palavra todos os dias. Oração é o caminho para se fazer o que Jesus pede.

            A fé tem que ser baseada no temor a Deus. É ela fonte de recursos para vencer as ciladas astutas do diabo que a cada segundo lança o convite para deixar de lado a vontade diretiva de Deus.

            Obedece quem tem fé. Sem ela, como agradar a Deus?

Com efeito, temos um sumo sacerdote capaz de se compadecer de nossas fraquezas, pois ele mesmo foi provado em tudo como nós, com exceção do pecado. Aproximemos então com toda a confiança, do trono da graça, para conseguirmos misericórdia e alcançarmos a graça de um auxílio no momento oportuno. (Hb 4.16)

           

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus

28 - 01 - 2016     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|