Mas contigo estabelecerei a minha aliança;
e entrarás na arca, tu e tua família. (Gn 6.18)


            A terra havia se corrompido, e o nível de maldade atraído o juízo divino.  O caminho sobre a face da terra revelou violência.

            Apesar de toda maldade, Noé achou graça diante de Deus em sua caminhada. E por ele ter sido justo e reto numa geração pervertida, toda sua família foi beneficiada com favor que desceu do céu.

            Por uma arca, feita pelo próprio Noé, segundo instruções de Deus, toda família do justo foi livre da morte e ainda recebeu o título, na história eterna, de pai de gerações até ao dia de hoje.

Levanta-te, Senhor, no teu repouso, tu e a arca da tua aliança! ( Sl.132.8)

            Arca vem do hebraico aron e traduz ideia de recipiente, caixa, local de guardar algo.

            Moisés recebeu a ordem divina de fazer uma arca. Não do modelo de Noé, que serviu de local de refúgio para toda sua família e animais de cada espécie. A arca de Noé garantiu a continuidade de espécie na terra de todo ser que nele havia sopro de vida.

            A de Moisés assumiu um papel de peso eterno: representava a presença de Deus. Era chamada também de Arca do Testemunho. E guardava os memoriais dos atos redentores de Deus: a tábua dos Dez Mandamentos, a Vara de Arão e amostras do Maná.

            A aliança de Deus era o requisito para se entrar na Arca de Noé ou de ministrar diante da Arca de Moisés.

            Nas guerras, a Arca de Moisés ia adiante, e a vitória era garantida quando a presença de Deus era invocada.

            Mas quando Israel deixou de obedecer a Deus e a considerar a Arca como uma caixa mágica com poder sagrado, as batalhas foram perdidas.

 

 

Porque esta é a aliança que, depois daqueles dias, farei com a casa de Israel, diz o Senhor: porei as minhas leis no seu entendimento e em seu coração as escreverei; eu lhes serei por Deus e eles serão o meu povo. (Hb 10)

 

            O objetivo maior da Arca de Noé foi o estabelecimento da aliança de Deus com a humanidade de preservar as espécies. Num sinal posto no céu, Deus se comprometeu a não destruir mais a terra com dilúvio.

            A misericórdia divina foi além dos céus e projetou uma aliança feita com sangue superior ao de animais sacrificados no Tabernáculo de Moisés.

             Jesus, o cordeiro imaculado, derramou o sangue para remir a humanidade de seus pecados e garantiu o acesso aos portais eternos.

            O justo Noé construiu a arca que salvou sua família e reiniciou o povoamento da terra. Moisés preparou a Arca que atraiu a shekina (glória de Deus vista pela humanidade).

            Hoje, em que Deus nos fala por meio de seu Filho Glorificado, que arca temos construído para conservar nosso coração puro das maldades do mundo?

            As leis de Deus postas no nosso entendimento e escritas no nosso coração por meio do estudo sistemático das Santas Escrituras nos remetem à arca divina preparada para nossos dias.

            Na arca divina, o mal não nos sobrevém mais do que nossas forças podem suportar.  O pecado não permanece, já que as leis infringidas são denunciadas pelo Espírito Santo, que ensina a verdade.

            Na arca divina, a cego enxerga, o surdo ouve, o manco anda e o perdido se encontra. Na arca divina, o socorro vem do Senhor que fez os céus e a terra.

 

Por Auxilandia, pastora em Cristo.

10 - 03 - 2016     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|