E pelejarão contra ti, mas não prevalecerão contra ti, porque eu sou contigo, diz o SENHOR, para te livrar. (Jr. 1:19)

 

Livrar vem do grego exaireo e traduz ideia de tirar para fora, extrair. Liberdade no contexto bíblico é ser tirado da potestade de Satanás para adentrar o império da luz.

Jeremias quando ainda menino recebeu divinamente o chamado de profeta. Rejeitou.

Medo, insegurança, previsão de lutas passaram em sua mente. Deus não recebeu o não do mensageiro que falaria às muitas gerações.

Entretanto, juntamente com a não aceitação da desistência do chamado, recebeu promessas de livramento. E a certeza de muita peleja.

 

E disse-me o Senhor: Que vês Jeremias? E eu disse: vejo uma vara de amendoeira.  E disse-me o Senhor: Viste bem, porque eu velo sobre a minha palavra para a cumprir. (Jr. 1. 11)

 

 Jeremias foi enviado a abrir a boca e proferir a palavra que vinha do Trono da Graça. Palavras de livramento, de julgamento, de esperança.

Deus é bom, e sua bondade não permite que o mal entre sem antes ser revelado com o objetivo de ser eliminado com orações, jejuns e fé que move montes.

O que crer no profeta de Deus prospera em seu caminho.

 

Tu, pois, cinges os teus lombos, e levanta-te, e dize-lhes tudo quanto eu te mandar; não desanimes, diante deles, porque eu farei com que não temas na sua presença. (Jr 1.17)

 

A obra de anunciar o que está encoberto aos olhos naturais atrai retaliações do mundo das trevas. Juntamente com as retaliações, o livramento desce como fogo que queima o mal.

Deus livra. Sempre. Sem dúvidas. E não há quem possa impedir o agir de Deus. Quando a Majestade Santa se inclina para buscar aqueles cujo coração é totalmente dele, Satanás bate em retirada por sete caminhos.

 

Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas rotas que não retém a água.  (Jr. 2.13)

 

         Deixar Deus é procurar respostas no mundo secular sem antes consultar o Espírito da Verdade. Quem guia a toda verdade? Quem convence do pecado, da justiça e do juízo? Essa função eterna é do Espírito Santo.

         Sem oração, jejum e estudo das Santas Escrituras o agir permanece nos ambientes da carnalidade. O homem espiritual agrada ao Senhor, mas o natural se perde em cisternas que não retém água.

 

Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas. (Sl 23.2)

 

Águas tranquilas figuram descanso e paz. O livramento de Deus promove a segurança que excede todo entendimento. Águas vivas correm do trono da graça e limpam, purificam e lavam de toda mancha.

Jesus suportou a pena de morte e garantiu a liberdade aos que creem em sua obra redentora.

 

Estai, pois, firme na liberdade com que Cristo nos libertou.

(Gl 5.1)

 

Liberdade para viver abundantemente significa levar no corpo os sofrimentos de Cristo para um dia receber a coroa da vida com galardão e todas as promessas da Bíblia Sagrada.

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

   

07 - 07 - 2016     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|