E eu, diz o Senhor, serei para ela um muro de fogo em redor e eu mesmo serei, no meio dela, a sua glória.  (Zc 2.5)

 

 Glória, segundo Aurélio, significa “magnificência, brilho, esplendor, prestígio”.

Israel recebeu mensagem de esperança por meio de Zacarias. Alta voz deveria anunciar que as cidades prosperariam e receberiam o consolo de Deus.

Contra os inimigos, um muro de fogo foi colocado no reino espiritual para que a paz reinasse.

 

Cale-se toda carne diante do Senhor, porque ele despertou na sua santa morada. (Zc 2.13)

 

Enxergar o livramento e a vitória exige uma atitude. A primeira delas é calar. Se houver necessidade de falar, apenas aos céus as palavras devem ser dirigidas.

O mundo foi criado pela palavra. E não uma geral. Mas específica para cada item criado.

“Haja luz” foi um comando para que as trevas se dissipassem. Depois o verbo usado para a conclusão da obra redentora foi mais específico ainda. Haja separação entre águas e terra seca.

Criem-se animais aquáticos, terrestres, domésticos... tudo foi dito e mesclado pelo poder criador.

 

Com grande zelo estou zelando por Jerusalém e por Sião. (Zc 1.14)

 

         Somos o Israel de Deus e com amor eterno ele nos atrai para galardoar e cumular de bênçãos.

 

         Quando o crente deposita na conta eterna a confiança, o retorno é garantido. Entretanto, é em meios a luta, tristezas, decepções e angústias que a fé é confirmada.

         Qual o objetivo final da fé? A salvação. A glória que será reservada na eternidade supera qualquer prestígio nesta terra.

         Por essa razão, é bom e agradável viver na busca pela confirmação da fé e na alegria da certeza de que os portões eternos se abrirão.

 

         Nos muitos cuidados que dentro de mim se multiplicam, as tuas consolações me alegram a alma. (Sl 94.19)

 

O mundo oferece alegrias e encantamentos tais que a alma se alegra. Mas dura pouco. Muito pouco. Logo se vai como a imagem refletida num espelho.

A alegria que está reservada para quem não deixou roubar a coroa ou para quem suportou as aflições deste século e permaneceu fiel até o fim será ministrada pelo Espírito do Vivo Deus e durará eternamente.

 

Por amor de Sião não me calarei. Por amor de Jerusalém não descansarei, enquanto não surgir nela, como um luzeiro, a justiça.

(Is. 62)

 

Sião é símbolo da cidade santa, ataviada como noiva para o Cordeiro que venceu a morte. Somos a Sião de Deus. E, como instrumento nas mãos dele, recebemos a justiça em Cristo Jesus para a salvação eterna.

 

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

28 - 07 - 2016     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|