Tempos de paz num mundo em guerra

E farei uma aliança de paz e acabarei com a besta ruim da terra.
(Ezequiel 34.25)

 

            Paz vem do hebraico shalom e traduz ideia de saúde, completude, bem-estar, perfeição.

            Em Israel, nos tempo atuais, as pessoas se cumprimentam com a expressão “qual é a sua paz, como vai?” e perguntam sempre pela paz da família.

            Paz é um estado harmonioso entre a alma e a mente.

            Como encontrar paz num mundo tão agitado, cheio de malignidade e de quebra da ordem divina?

            Jesus é a resposta. Ele é o Príncipe da Paz, como anunciou o profeta Isaías no contexto de anúncio da chegada do Messias. Com a vinda de Cristo, inaugurou-se um novo tempo, em que a quietude de espírito domina as inquietações da alma.

 

Deixo-vos a paz; a minha paz vos dou. Não como o mundo a dá. Não permitais que vosso coração se preocupe, nem vos deixeis amedrontar. (João 14.27)

            A paz do mundo é transitória e depende de recursos materiais.

A paz de Deus enche o coração de esperança, mesmo diante do caos.

 

E farei com eles uma aliança eterna. E porei o meu santuário no meio deles para sempre. (Ezequiel 37.26)

           

Ezequiel lançou a palavra de esperança num contexto de total destruição de Israel em períodos de guerra. A Palavra sustenta e produz vida.

Em vales de ossos secos, a profecia é proclamada para invocar o Espírito de vida. Na falta de saúde e de bem-estar, resta uma saída espiritual:

posse da paz que excede todo entendimento.

 

Como isso funciona na prática? Usando palavras que atraem os anjos guerreiros da luz. Determinando, em nome de Jesus Cristo, que as trevas se dissipem.

Jesus disse que no mundo a aflição pontuaria cada segundo da vida. Mas ele forneceu a ferramenta para consertar este mal: bom ânimo.

Bom ânimo é buscar a paz. E em Deus. Não é paz que se baseia em coisas deste mundo. É a paz que leva o pensamento a adentrar a eternidade.  E transportar as coisas do alto para o coração.

Orai pela paz de Jerusalém. (Sl. 122)

Deus orientou o povo judeu a buscar em oração a paz da cidade. Jeremias esclareceu que na paz da cidade está a paz individual.

Nosso dever é orar sempre, pela saúde, bem-estar. Por que?

As trevas se opõem à luz. Os satanistas correm em busca das destruições e se fazem instrumentos de operação maligna.

A invocação do mal é uma realidade que deve ser combatida pelo jejum e pela oração.

A paz desce como raio de luz na terra quando joelhos se dobram para clamar e invocar o Espírito Santo. Anjos se organizam para a batalha e lutam a favor dos filhos de Israel e a paz se estabelece.

 

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

18 - 01 - 2017     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|