Eis que eu farei vir saúde e cura, e os sararei, e lhes manifestarei abundância de paz e de verdade. (Jr. 33.6)

 

Sarar vem do hebraico rapha e traduz ideia de restaurar ao estado normal, ato que Deus tipicamente faz.

 

Sara-me, Senhor, porque os meus ossos estão perturbados. (Sl. 6.2)

            É comum encontrar no Antigo e Novo Testamento súplicas por cura. O salmista chegou a conversar com a alma abatida para lembrar que o esperar em Deus era a única maneira de vencer as turbulências do espírito abatido.

            Doenças físicas e da alma precisam de cura.

 

Sara-me, Senhor, e sararei. (Jr. 17.14)

           Mais do que doente fisicamente, Jeremias estava abatido, triste e desesperado. A ponto de dizer a si mesmo que precisava trazer à sua memória aquilo que poderia gerar esperança.

            Num dado momento de seu clamor e busca, ouviu de Deus que a saúde e a cura viriam. Além disso, a paz e a verdade também desceriam do Trono da Graça.

            A cura que desce como dom perfeito do Pai das Luzes envolve a graça, o perdão e o arrependimento. Quando se vive num deserto com serpentes abrasadoras, a fé é minada pela batalha de sobrevivência.

            É preciso voltar ao primeiro amor e resgatar a esperança. Trazer à memória feitos de Deus do passado e desenvolver um pensamento conectado ao céu.

            Não é tão tranquilo o resgate dos valores espirituais que motivam a prosseguir na caminhada.

            Porém, disciplina e gerenciamento de modos de pensar fazem a diferença para alcançar a fé perdida.

Porque restaurarei a tua saúde e sararei as tuas chagas, diz o Senhor.

(Jr. 30.17)

 

             Não se pode negar a luta cósmica que há no segundo céu. Forças invisíveis das trevas e anjos de Deus se encontram.

Quem vencerá? Aquele que for invocado mediante orações, jejuns, fé e esperança no livramento.

Davi, o homem segundo o coração de Deus, clamou porque era alvo dos ataques dos adversários. E eram muitos inimigos.

 

Sejam consumidos e confundidos os que são adversários da minha alma. Cubram-se de opróbio e de confusão aqueles que procuram o meu mal (Sl. 71.13)

 

Os salmos imprecatórios revelam que o julgamento dos inimigos é necessário e refletem a batalha entre trevas e luz.

Davi pediu sempre a recompensa do Senhor contra os adversários.

Deus, somente Deus, em Cristo Jesus, pode trazer a cura e o livramento.

 

A proteção exercida por Deus traz ensinamentos mesmo em meio à dor.

Jó foi ao fundo do poço. Ele se fez campo de batalha entre luz e escuridão.  Mas aprendeu que Satanás é vencido pelo sangue de Cristo e que Deus pode ser glorificado em todas as circunstâncias.

Aprendeu a escolher entre a sugestão maligna da esposa e a ter esperança no Deus que criou o universo e que tem o poder nas mãos para curar.

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

 

27 - 04 - 2017     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|