Tu és o nosso Pai; nós, o barro, e tu, nosso oleiro; e todos nós, obras de tuas mãos
(Is. 64.8)

 

       Como parte da obra criadora, a sabedoria foi um dom de Deus planejado em sua agenda eterna como ferramenta humana.

Para os judeus da antiguidade, a sabedoria com raízes em Deus era atribuída a quem recebesse dele as revelações divinas.

Mas, para que a sabedoria atingisse seu papel principal, o temor a Deus deveria estar no coração. Sem temor, não existiriam sábios.

 

Para que a mente conserve o temor no coração, qual atitude deve-se cultivar?

 

A atitude primeira é entender que o Pai é o oleiro. Que o vaso é moldado como obra das mãos dele. E a humanidade é vaso nas mãos do oleiro.

Deus é descrito como Pai, aquele que gera e protege. Aquele que deve receber veneração e obediência.

 

Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? (I Cor.1.20)

 

A sabedoria meramente humana é alvo do julgamento de Deus. Hoje, o humanismo secular conduz o homem ao orgulho e ameaça colocá-lo contra a Palavra de Deus.

A sede de justiça nunca será suprida com ideais humanos desprovidos da vontade soberana que desce do Pai das Luzes.

Sabereis que eu estou no meio de Israel e que eu sou o Senhor vosso Deus e não há outro; e o meu povo jamais será envergonhado. (Jl 2.27)

 

Senhor é termo que vem do hebraico adon e traduz ideia de mestre, aquele que ocupa lugar de destaque, posição de autoridade.

Deus, o Pai, é soberano governante e mestre. Dele vem o ensino, o cuidado, as ordens.

Obedecer não é um fardo. É se colocar na dimensão do cuidado eterno. É ser moldado com o objetivo de aumentar a fé e obter o passaporte para o céu de luz.

Ser moldado por Deus traz benefícios de ordem eterna. O espírito recriado segundo a verdade que há nele geme esperando a redenção. Porém, confia que tudo será convergido nele, Jesus. E nele, a paz excede o entendimento humano.

Quem entrará nos portais eternos? Aquele que for moldado pelo oleiro depois de confessar que Jesus é o Senhor.

Tu és meu filho, eu, hoje, te gerei. (Sl 2.7)

Filho sempre encontra no pai a segurança de pedir e ser aceito.

Jesus, o messias, foi chamado de Pai da Eternidade. Ele é o oleiro que trabalha para os que nele esperam. Mesmo que o caminho seja estreito, há uma honra e um nome eterno para o vaso moldado.

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

13 - 07 - 2017     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|