Ó Senhor, é por causa das coisas que tu fazes que todos nós vivemos; e eu também estou vivo por causa delas. Dá-me saúde a fim de que eu viva!

(Is. 38.16)

 

 

Vida vem do grego zoe e é usado com o significado de vida como princípio, aquilo que o Pai tem em si e deu ao Filho encarnado.

Nos tempos antigos, Ezequias, rei de Judá, adoeceu. E ficou muitos dias prostrado. Deus enviou o profeta Isaías com aviso de que sua vida teria mais quinze anos de acréscimo.

Alegremente, Ezequias entoou um cântico de agradecimento e reconheceu a intervenção divina para que a sepultura fosse fechada.

Além da vida aqui na terra, a relação do cristão com as coisas do alto o faz herdeiro da vida eterna.

Porque também nós, os que estamos neste tabernáculo, gememos carregados; não porque queremos ser despidos, mas revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida.
Ora, quem para isto mesmo nos preparou foi Deus, o qual nos deu também o penhor do Espírito.

(2 Cor 5.4)

 

Jesus foi as primícias da ressurreição. E por esse ato garantidor da extensão desse privilégio aos que morrem em Cristo, a vida eterna deve ser buscada enquanto existir vida terrena.

Para essa garantia ser atribuída aos que crerem na ressurreição de Jesus, deve ser cuidadosamente observado princípio divino de vida e morte, pecado e santidade.

A vida é doada por Deus. Ele garante a permanência na terra. Porém, como Deus justo e santo que é, toma posse da vida quem o busca de todo coração.

A segunda morte é o oposto da vida eterna. Quem não for achado no Livro da Vida sofrerá o dano da morte eterna.

O pecado faz separação entre Deus e a humanidade. Sem a santificação, Paulo alertou que é impossível encontrar Deus.

Para que o mortal seja absorvido pela vida o penhor do Espírito deve ser posto como um selo impresso no coração.

Isso, na prática, significa levar uma vida de acordo com a Palavra imutável de Deus.

Nós sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama a seu irmão permanece na morte.

(1 Jo 3.14)

Vida em Deus requer um agir responsável. No céu de luz, a treva não consegue invadir e fazer morada.

E como é difícil essa tarefa espiritual. O ser humano é atacado por mensagens satânicas que o levam a adentrar o caminho largo e a perder o acesso à vida eterna em Deus.

Jesus foi sacrificado como o cordeiro que retirou o pecado do mundo. Nele, o perdão é buscado. E o acesso aos portais eternos é restabelecido pelo sangue derramado.

 

Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.

(1 Co. 15.9)

Sim, Paulo sentiu na pele o que todo mortal sente. Não só por ter tido acesso às coisas sobrenaturais e viu Jesus em forma de uma luz intensa que ele concluiu que a vida eterna é melhor que a terrena. É melhor, não há dúvida.

Porém, ele afirmou que nesta vida tem-se a graça de Jesus que nos basta. Ele ensinou a pensar nas coisas futuras em Cristo, quando a consumação do século se firmar, mas entendeu por experiência que ser instrumento de Deus nesta vida é preciso.

É necessário levar a vida de Deus a quem está se perdendo. Ezequias entendeu que o acréscimo de vida que ele recebeu era simplesmente para continuar fazendo o que era reto aos olhos de Deus, em busca de encontrá-lo depois dos quinze antos.

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

     

10 - 08 - 2017     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|