Quando, pois, a nuvem se levantava de sobre o tabernáculo, então os filhos de Israel caminhavam em toda as suas jornadas.

(Ex. 40.36)

 

O termo serviço vem do hebraico Sharat e traduz ideia do serviço feito em relação a adoração a Deus pelo povo de Israel.

Ao receber orientação divina para construção do tabernáculo, Moisés ensinou ao povo obedecer a voz de Deus, que se mostrou em forma de uma nuvem.

A jornada no deserto durou quarenta anos e não havia uma rota traçada para que o povo firmasse acampamento. A direção do local exato de fixar acampamento dependeria da nuvem.

Se a nuvem, porém, não se levantava, não caminhavam até o dia em que ela se levantava. (Ex. 40.37)

Havia uma aliança feita por Deus e o povo de Israel no monte Sinai quando do chamado de Moisés como profeta para libertação no Egito.

O povo escolhido se tornaria propriedade de Deus entre todos os povos.

A jornada do deserto direcionou o povo a ouvir a voz de Deus e a obedecer. Ensinou também o serviço necessário para a santificação e a capacidade de ver a Shekina, a glória de Deus vista pelos olhos humanos.

 

Porquanto a nuvem do Senhor estava de dia sobre o tabernáculo, o fogo estava de noite sobre ele, perante os olhos de toda a casa de Israel, em todas as suas jornadas. (Ex. 40.38)

 

Israel foi separado de todas as outras nações para o serviço de Deus, pois da linhagem da Tribo de Judá viria o Messias.

Pela obediência aos Dez Mandamentos, às Leis e aos Estatutos, Israel deveria ser Luz para as outras nações.

O Messias foi enviado na plenitude dos tempos e hoje ele está a bater na porta do coração de cada um.

Aquele que ouve a voz, abre a porta e o recebe, passa a cear com ele.

A nuvem de glória se revela pelo Espírito Santo, hoje, convencendo o homem do juízo, do pecado e da justiça e garantindo o acesso ao Trono da Graça.

 

Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.
(1 Pe 2.9)

 

         O tabernáculo era um santuário portátil. Eram exigidos dos responsáveis alguns rituais para montagem e desmontagem.

A arca da Aliança que era guardada no Santíssimo lugar do tabernáculo representava a presença de Deus no meio do povo e servia para motivar a fé dos israelitas em campos de batalha.

Somos templos do Espírito de Deus, morada dele. Portanto, a voz dele se faz ouvir por toda a terra.

Aquele que estiver atento ao comando do vento que sopra trazendo a direção consegue enxergar a nuvem de glória que permanece parada ou que se movimenta.

         Para vencer situações desesperadoras, é preciso a presença de Deus que vem por meio da busca incessante.

Obedecer a voz divina é o princípio da vitória.

Mas é preciso seguir um ritual, uma disciplina: devocional incluindo louvor, oração, jejum, estudo sistemático da Palavra.

         Obedecer a voz do Espírito Santo exige limpeza interior e regras de conduta baseadas na justiça e verdade que são o alicerce do trono divino.

 

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

 



17 - 08 - 2017     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|