Quando, pois, a nuvem se levantava do tabernáculo, então os filhos de Israel caminhavam em todas as suas jornadas.
(Ex. 40.36)

 

Dirigir vem do grego kateuthuno e traduz ideia de fazer direito, endireitar.

Para iluminar aos que estão assentados em trevas e na sombra da morte; a fim de dirigir os nossos pés pelo caminho da paz. (Lc 1.79)


        
Maria profetizou que Jesus guiaria os passos da humanidade ao enviar o Santo Espírito com a tarefa de convencer o mundo do pecado, da justiça e do juízo.

Na prática, ouvir e obedecer a voz que vem do céu traz alívio na jornada diária.

E foi com esse objetivo eterno que a cruz de Cristo entrou na história da humanidade.

Se a nuvem, porém, não se levantava, não caminhavam até o dia em que ela se levantava. ( Ex. 40.37)

          
        
Antes da revelação da vinda de Cristo, Israel, o povo escolhido para viver a vontade de Deus e ser a raiz pela qual o messias nasceria, percorreu jornada no deserto por 40 anos e vivenciou a direção de Deus em forma de nuvem e coluna de fogo.

         Sem direção determinada por planejamento humano, os olhos de toda a casa de Israel contemplavam os comandos divinos: nuvem parada, tenda fixada. Nuvem em movimento, povo caminhando debaixo da confiança em seu Deus.

         Jeremias compreendeu pelo Espirito Santo que tudo que se deve fazer deve ser feito sob a direção de quem governa o universo.

 

Eu sei, ó Senhor, que não é do homem o seu caminho; nem do homem que caminha o dirigir os seus passos. (Jr. 10.13)

Fácil entregar o caminho ao Senhor e confiar que tudo ele fará? O inimigo da alma veio para matar, roubar e destruir o pensamento que se volta a obedecer.

Por essa razão, todo cuidado ainda não é suficiente. Cultivar o pensamento e buscar os recursos espirituais para caminhar na direção estabelecida pela eternidade é tarefa diária.

Os filhos de Israel receberam estatutos e ordenanças para cumprimento de forma que a nuvem e a coluna de fogo fossem percebidas e o bem alcançasse toda geração.

Porém, nem todos estavam atentos e obedientes. O deslize de uns resultou em grandes males.

Além da atenção ao comando divino manifestado pela nuvem, houve leis estabelecidas por Deus acerca da comunhão com o próximo, da adoração no tabernáculo, das relações comerciais, civis, criminais e muitos outros comandos pelos quais deveria o povo viver.

A história bíblica relata que a obediência atraiu as bênçãos. A rebeldia abriu as portas da maldição.

Hoje, qual a forma de manifestação da vontade divina?

Jesus, a expressão exata do ser de Deus, fala à humanidade pela sua cruz e sofrimento. Pela sua ressurreição e exaltação à glória. Pelo seu Espírito Santo, por sonhos e revelações. Pelos dons espirituais. Pela Palavra revelada, que é a Bíblia Sagrada.

 Pelos seus profetas, portadores da glória manifestada nos dons do Espírito Santo que são doados conforme a vontade soberana do Pai.

Pela direção dada a cada dia e recebida de múltiplas formas, pois o serviço é diversificado, embora o Espírito seja o mesmo.

Qual nuvem paira e se movimenta no caminhar de cada um? Que essa reflexão seja feita a todo instante. Obedecer é uma necessidade espiritual para que tudo corra bem.

Sem a obediência, a brecha é porta de entrada de serpentes abrasadoras, de ventos fortes destruidores, de nuvens negras e céus de bronze. Que o a humanidade caminhe na obediência e atraia benção da região celeste.

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

25 - 10 - 2017     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|