Ele é a Rocha, as suas obras são perfeitas, e todos os seus caminhos são justos. É Deus fiel, que não comete erros; justo e reto ele é.

(Deut. 32.4)

            Moisés havia cumprido seu chamado e estava próximo de sua morte. Um longo caminho ele percorreu até profetizar ao povo de Israel antes de avistar o Monte Nebo e enxergar de longe a terra de Canaã.

            Lembrou ao povo que uma nação se formara e era preciso memorizar os feitos do Senhor para que a prosperidade acompanhasse a vida das gerações seguintes.

            Israel teria que se firmar como povo escolhido, nação santa e sacerdócio real.

            Porque a porção do Senhor é seu povo, Jacó é a parte de sua herança. (Dt 32.9).

            O capítulo 32 de Deuteronômio é um cântico que discorre o louvor e a grandeza de Deus proferido por Moisés ao relembrar todo percurso espiritual do povo desde a saída do Egito até à vista da terra prometida.

            Feliz és tu, Ó Israel. Quem é como tu? Povo salvo pelo Senhor, escudo que te socorre, espada que te dá alteza. Assim os teus inimigos  te serão sujeitos, e tu pisarás os seus altos. (Dt 33,29)

            Israel é o nome simbólico do povo salvo e remido que adentrará os portais eternos.

            Desde a criação do universo, Deus planejou escolher um povo do qual as famílias todas da terra receberiam a bênção de pertencer ao reinado de Jesus.

            Deus se revelou a Moisés como o Todo Poderoso, o Eu Sou, o Senhor e desde então vem buscando um povo para se relacionar e promover bênçãos e graça sobre graça.

            O Deus eterno é a tua habitação e, por baixo de ti, estende os braços eternos. (Dt 33.27).

            Escolher trilhar o vivo e reto caminho por meio do sacrifício de Jesus é atrair os braços eternos e permancer na habitação divina, na qual correm rios de águas puras e a cura se estabelece.

            A imutabilidade de Deus é um atributo que garante a misericórdia por um povo que se rebela, mas que é sempre atraído com cordas de amor.

            Correponder a esse amor é sempre uma escolha que revela inteligência espiritual em conformidade com a promessa de Deus.

            Bênção é um processo que começa com a emissão de palavras numa oração e termina com louvor.

            Abençoar é uma ordem de Deus. Moisés abençoou o povo antes de sua partida para a eternidade.

            Moisés contou numa poesia os benefícios concedidos por Deus ao povo que ele liderou.

            Como tem sido a vida espiritual de quem recebe dia após dia os livramentos, as curas e as diversas bênçãos do Deus de Abrãao, Isaque e Jacó?

            O louvor e a gratidão traz paz ao coração.  As tempestades interiores se acalmam diante da confiança no Deus que está presente nas tristezas e nas alegrias, na vida e na morte, na paz e na ansiedade.

           

Na verdade, amas os povos, e todos os teus santos estão nas tuas mãos. (Dt 33.3)

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

21 - 11 - 2017     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|