Pois sabia que és Deus piedoso e misericordioso, longânimo e grande em benignidade e que te arrependes do mal.
(Jn  4.2)

 

            Nínive foi uma terra narrada no Velho Testamento que abrigou moradores perversos. O nível de crueldade atingiu o ponto em que mulheres grávidas eram rasgadas no ventre.

            No coração de Deus, a crueldade poderia ser trocada por arrependimento e busca da face de Deus. Por isso, Jonas foi divinamente chamado para anunciar mensagens de juízo.

            E os homens de Nínive creram em Deus e proclamaram um jejum, e vestiram-se de pano de saco, desde o maior até o menor. (Jn 3.5)

            A humilhação e o desejo de afastar-se dos maus caminhos moveram a troca do juízo pela benignidade. E o povo creu que  o rosto de Deus se voltaria para Nínive sem a destruição planejada.

            Quem sabe se voltará Deus e se arrependerá e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não pereçamos? (Jn 3.9)

            Jonas, ao receber a mensagem de Deus, fugiu para o local mais longe que uma mente da época poderia imaginar.

            Foi para o lado oposto da direção divina, pois a mudança de comportamento dos ninivitas era impossível em sua compreensão.

            O Deus do impossível  sabia que o arrependimento já estava nos planos de quem se vestiu de pano de saco e se humilhou.

            Mas Jonas não ficou satisfeito com o resultado da proclamação de sua mensagem. Os ninivitas creram em Deus e o perdão desceu do céu.

            O profeta revoltou-se quando percebeu a longanimidade e a misericórdia de Deus dirigida aos cruéis arrependidos.

            Tiveste compaixão da aboboreira, na qual não trabalhaste, nem a fizeste crescer, que em uma noite nasceu e em uma noite pereceu e não hei eu de ter compaixão  da grande cidade de Nínive, com cento e vinte mil homens que não sabem discernir entre a mão direita e a esquerda?

(Jn 4., 10-11)

 

            Deus revelou a Jonas que o egoísmo dele em ter piedade da planta que morreu,  e não dos ninivitas, era tão cruel quanto o defeito espiritual que o levou à cidade para proclamar a mensagem de julgamento.

            A graça de Deus se revelou ao profeta desobediente. Estendeu-se ao povo cruel de Nínive porque o arrependimento interrompeu o ciclo de pecados.

            Quem entenderá os caminhos de Deus? Quem adentrará a mente do Senhor? Ele perdoa o que se arrepende e dá graça ao humilde.

            Existiram pessoas em Nínive que continuaram nos caminhos tortuosos? A bíblia não menciona. Mas Jesus avisou aos de sua época que os habitantes da cidade cruel foram alcançados pela graça de Deus pelo arrependimento, e que algumas cidades não se renderam à sua pregação.

            Há cidades ainda cruéis, que matam seus profetas silenciosamente e rejeitam o arrependimento. Mas a justiça de Deus é certa como o amanhã que se levanta.

              Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

Abril de 2019     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|