Quero trazer à memória o que me pode dar esperança
(Lm 3.21)

 

                   Lidar com a dura realidade de perdas e sofrimentos requer um pensamento positivo para permanecer na perfeita paz

 

                   Uma postura de responsabilidade em manter pensamentos bons para não perder a mente depois ou durante uma adversidade é a chave de espera de uma vitória.

 

                   Jeremias presenciou a queda de Jerusalém. A destruição e a ruína pontuaram seus pensamentos. O que fez ele para preservar a mente diante de tanta aflição?

 

                   O profeta ensinou o povo a buscar pensamentos de paz, de esperança e de fé.

                  

 (Fl 4.8)

Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento.

 

                   Paulo, em sua carta aos efésios, reforçou o que Jeremias escreveu por volta dos anos 586 a.C.:  Pensamento ocupado por aquilo que promove bem-estar.

 

                   Trazer à memória coisa boa, que dá esperança é necessário para receber cura e libertação.

 

                   A esperança se revela como expressão de confiança e de certeza de ser ouvido por Deus.

                  

                   Por isso, a memória deve ser ativada com a Palavra da Salvação.

 

                   É preciso conhecer Deus em profundidade de alma para se obter esperança no meio de um poço de enfermidade, ou de um desastre que pode mudar a rotina de uma vida.

 

                   Jeremias buscou esse conhecimento em meio ao sofrimento ao ver sua terra natal ser invadida por inimigos e saqueada.

 

                   Porém, na tempestade da vida encontrou motivos pra levar seu povo a buscar a fé e a esperança no Deus de Israel. O mesmo que libertou os antepassados da escravidão do Egito e não havia mudado  em suas misericórdias, salvaria a sua alma de destruições.

 

A minha porção é o Senhor, diz a minha alma. Portanto, esperarei nele.

(Lm. 3-24)

 

                   Esperança vem do grego elpis e traduz ideia de expectativa favorável e confiante. Essa palavra no Novo Testamento está ligada à pessoa de Cristo.

                  

                   Cristo em vós, esperança da glória. (Cl 1.1.27)

 

                   A esperança traz a certeza do cumprimento de todas as promessas apresentadas no evangelho. A maior delas é a salvação para não enfrentar a segunda morte.

                   A inteira certeza da fé traz paz à alma inquieta e leva o crente a olhar para as coisas invisíveis, aquelas que são eternas, como indicou Paulo.

 

                   Ora, o Deus da esperança vos encha de todo gozo e paz na vossa crença, para que abundeis em esperança pela vinda do Espírito Santo.

(Rm 15.13)

 

                   A esperança encontra plena atuação em meio às provações da vida. Sem ela, o pensamento segue a sugestão maligna e a vida sucumbe em aflições.

 

                   Portanto, deve-se, sempre, trazer à memória o que pode dar esperança, como alertou o profeta em sua caminhada mais espinhosa.

 

Por Auxilandia, pastora em Cristo Jesus.

Março de 2020     

 
  Voltar para índice de mensagens
|- - IEMB - Design: João Batista A.P - Igreja Evangélica Missionaria Brasileira- Leia a Bíblia, ouça a voz de Deus - Ministério: Pr. João Nogueira Pimenta -|